Óbito do doutor português Óscar Lopes, sócio de honra da AGAL

Terça, 02 Abril 2013 07:34

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - Em finais de março faleceu prestigiado filólogo português Óscar Lopes, sócio de honra da Associaçom Galega da Língua (AGAL), que dedicou a sua atividade profissional à investigaçom nos campos da literatura e a lingüística, âmbitos em que logrou numerosos reconhecimentos durante a sua quase centenária vida. O Conselho da AGAL fai públicos os mais sentidos pêsames por esta perda.

O doutor Óscar Luso de Freitas Lopes (Leça da Palmeira, 2 de outubro de 1917 – Matosinhos, 22 de março de 2013) foi um dos mais prestigiados filólogos, críticos literários e historiadores da literatura portuguesa. Entre a sua vasta produçom científica cabe assinalar a História da Literatura Portuguesa, escrita em conjunto com António José Saraiva, que é um dos títulos de referência da sua carreira, com mais de vinte edições desde 1955 e ainda hoje uma obra fundamental. Também se deve assinalar que que foi colaborador de publicações especializadas como Seara Nova, Vértice, Mundo Literário, Colóquio/Letras e o suplemento literário d'O Comércio do Porto.

Durante quase três décadas foi professor no ensino secundário nas cidades de Vila Real e o Porto. Desde 1974 foi professor na Faculdade de Letras da cidade invicta, da qual chegou a ser vice-reitor.

Obras

Entre as suas obras cabe destacar, no âmbito filológico, a Gramática Simbólica do Português (1977) ou Entre a Palavra e o Discurso: Estudos de Linguística (1977-1993) (2005). Já na literatura e crítica literária, além da referida História da Literatura Portuguesa, o Album de Família: Ensaios sobre Autores Portugueses do Século XIX (1984), Os Sinais e os Sentidos: Literatura Portuguesa do Século XX (1986), Entre Fialho e Nemésio: Estudos de Literatura Portuguesa Contemporânea (1987), A Busca de Sentido: Questões de Literatura Portuguesa (1994) ou 5 Motivos de Meditação: Luís de Camões, Eça de Queirós, Raul Brandão, Aquilino Ribeiro, Fernando Pessoa (1999).

Distinções

A sua trajetória profissional valeu-lhe reconhecimentos e distinções como a Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública, a atribuiçom da Ordem da Liberdade, o grau Doutor Honoris Causa pola Universidade Clássica de Lisboa ou, como já se referiu, a consideraçom como sócio de honra da AGAL.

 

+ Ligações relacionadas: