O Governo corso apresenta um plano para promover a língua própria entre o funcionariado

O presidente corso, o socialista Paul Giacobbi, congratulou-se pola proposta e defendeu 'acçons concretas' para desenvolver o idioma em todos os âmbitos

Segunda, 19 Abril 2010 08:40

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Nationália.cat – Córsega deu esta semana um passo em direçom ao bilinguismo mais eficaz. O presidente do Govern autónomo, Paul Giacobbi, e o presidente do Centro Nacional da Funçom Pública Territorial (CNFPT), o organismo responsável do funcionariado do conjunto do Estado francês, assinou a Carta da Língua Corsa.

O documento tem como objectivo «reforçar os usos e a visibilidade da língua corsa na vida social e nos espaços públicos». Este anúncio significa um grande compromisso por parte dum organismo do Estado, que se vai materializar acrescentando a oferta de cursos de línguas para os funcionários públicos em vários sectores, especialmente aqueles que se referem à educaçom. Também incluem o uso de sinais nas secretarias do CNFPT, entre outras novidades. Esta estrutura do Estado nom tem assinado qualquer documento similar a outras regions com língua diferentes do francês.

Plano Estratégico para a Língua

A Carta da língua corsa forma parte do Plano Estratégico e Desenvolvimento para a língua corsa, lançado pola Assembleia da Córsega em Julho de 2007 e que durará até o ano 2013. O vereador de Ajaccio e delegado de CNFPT, Simon Renucci, explicou que o plano pretende "afirmar a importância da língua corsa como um vínculo social, que mobiliza toda o conjunto de actores insulares em torno de um consenso sobre a difusom da língua em todos os domínios da vida social. Até o momento, 49 municípios da ilha aderírom à estratégia lingüística.

Além disso, Giacobbi demonstra com esta medida o início da legislatura –ganhou as eleiçons no mês passado- numha aposta clara em favor da língua própria da ilha. Ainda, segundo informa Corse-Matin , o líder do executivo corso e o presidente da Assembleia, Dominique Bucchini, chamárom a Paris para que ratifique a Carta Europeia das Línguas Regionais ou Menorizadas,

Actualmente o idioma corso, que conta com entre 125.000 e 175.000 falantes segundo Linguamón , procura apenas um reconhecimento legal na Córsega. No passado mês de Julho, a maioria dos deputados da Assembleia votou contra a moçom apresentada por Córsega naçom independente, que estabelecia o status oficial do corso.

 

+ Ligaçons relacionadas: