Cymdeithas protesta pelo projeto de lei da língua galesa

Criticam que nom se contemple de forma clara a declaraçom da oficialidade do galês nem se seja explícito à hora de fixar os direitos de uso da língua

Quarta, 11 Agosto 2010 14:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Nationàlia - A organizaçom em defesa do galês denuncia que a Welsh Language Mesure, o rascunho proposto sobre a legislaçom linguística, nom estabelece a oficialidade da língua, nem garante o direito de a utilizar, nem assegura a independência do novo Comissionado pola Língua.

A celebraçom nesta semana do Eisteddfod,o principal festival de língua, cultura e artes do país de Gales, tem coincidido com o ressurgimento da questom da língua no debate público. Cymdeithas yr Iaith Gymraeg (a Sociedade da Língua Galesa) aproveitou o acontecimento para fazer pública a sua crítica do rascunho de lei de línguas, a Welsh Language Measure, dado a conhecer recentemente.

Com o seu habitual estilo mordaz, os membros de Cymdeithas irrompêrom no festival encabeçados por um senhor encadeado a uma enorme bola de ferro. Representava o Comissionado pela Língua, uma nova figura prevista pela lei de línguas que substituirá o actual Welsh Language Board. Segundo Cymdeithas, no entanto, esta figura nasce com demasiado pouca independência a respeito do Governo, por isto arrastava uma bola com as inscrições "sem estatutos" e "sem direitos".

Além da falta de independência do futuro Comissionado, de Cymdeithas criticam que o rascunho atual nom contemple de forma clara a declaraçom da oficialidade do galês, por um lado, e que nom seja muito explícito à hora de fixar os direitos de uso da língua.

As preocupações de Cymdeithas coincidem em boa parte com o relatório feito público na última semana de julho por uma comissom da Assembleia de Gales, integrada por membros de todos os partidos e que deu a sua opiniom sobre o rascunho de lei proposto pelo Governo. Além da questom da oficialidade -também acha de menos uma definiçom menos ambígua-, o relatório apresentado por esta comissom pedia que o orçamento destinado à regulaçom e promoçom da língua fosse monotorizado anualmente por um comité designado pela Assembleia.

Com respeito ao Comissionado, o relatório acha de menos mais participaçom da Assembleia. Segundo a sua opiniom, esta figura, proposta pelo primeiro-ministro, teria que ser aprovada em última instância pelo conjunto da câmara parlamentar galesa.

 

+ Ligações relacionadas: