Mais da metade de valencianos não fala a língua própria e só 26,4% a sabem escrever

Apenas 28,9% das pessoas de mais de 15 anos se expressam sempre em catalão, quase 4 pontos menos que o resultado do anterior inquérito, publicado em 2005

Quinta, 09 Dezembro 2010 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Alejandro Font de Mora, conselheiro da Educação da Generalitat valenciana

PGL - Só 48,5% dos habitantes do País Valenciano falam sem dificuldades a língua própria, enquanto uns 51,5% a falam muito pouco ou nada. É uma das principais conclusões do inquérito "Conhecimento e Uso Social do Valenciano" [entre a população de mais de 15 anos] que apresentou a Generalitat valenciana nesta terça-feira.

 

Apesar dos dados, o governo valenciano com o conselheiro da Educação Alejandro Font de Mora à frente, assegura que 76,7% a sabem falar (e 93,9% a entendem). A diferença? Educação soma aos 48,5% dos valencianos que conhecem bem a língua, os 28,2% que a sabem falar pouco ou com muitas dificuldades, até conseguir os 76,7% total.

Por zonas, nas consideradas comarcas falantes de castelhano do País Valenciano apenas uns 10% sabem catalão perfeitamente. Assim uns 90% asseguram que não, repartidos entre uns 28,9% que o usam "pouco" e uns 61,1% "nada". Nas comarcas falantes de catalão do País Valenciano, uns 54,3% o sabem bem ou perfeitamente bem, uns 28,1% "um pouco" e uns 17,6% "nada".

Por outra banda, a amostra indica que a família está a perder peso como fonte de transmissão da língua. Os 53% continuam aprendendo o valenciano no seio familiar mas os 47% fazem-no em outros âmbitos.

Com respeito ao catalão escrito, uns 41,7% asseguram não saber nada, uns 31,9% "um pouco", uns 11,8% bastante bem e uns 14,6% o dominam "perfeitamente" (ao todo uns 26,4% entre as duas últimas opções).

Com respeito à leitura, 85,9% da população inquerida (89,3% no caso das comarcas falantes de catalão) asseguram que não têm nenhum problema para entender rotulações, comunicações ou anúncios escritos em valenciano; e 45,3% afirmam que lêem “bastante bem” ou “perfeitamente” revistas ou livros.

E finalmente com respeito ao uso social da língua, uns 40% dizem utilizá-la em casa, mas só uns 28,9% se expressam sempre em valenciano [em 2005 eram 32,6%]. O uso com respeito às relações com os amigos é superior ao do âmbito familiar, com uns 48,3%.

O inquérito recolhe pela primeira vez o nível de uso da língua em Internet: 43,8% dos consultados utilizam o valenciano com diferente frequência na página do navegador, uma percentagem que aumenta até os 67,5% nas chamadas redes sociais.

Apesar destes números, o conselheiro Font de Mora assegurou que o estudo indica que o valenciano "se está a adaptar bem a uma nova situação própria de uma sociedade moderna, com grande mobilidade do ponto de vista demográfico, que está a experimentar a incorporação de muita gente de outros territórios e de outros países".

Os resultados deste inquérito (o último foi em 2005) foram publicados um mês após que a Generalitat valenciana decidisse reduzir em quase dois milhões de euros o orçamento da verba de promoção e uso do valenciano. Para 2011 só serão destinados 5.131.990 euros, quase um milhão menos que no ano passado, tendo em conta que então já se reduziu um terço a respeito do ano anterior.

 

+ Fontes: