Sem assistência médica em Crevillent por falar catalám

O médico de plantom do centro de saúde nega-se a atender um paciente alegando que nom o entendia

Terça, 17 Janeiro 2012 09:50

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

A publicidade e os websites institucionais valencianos outorgam primazia ao castelhano sobre o catalám

Vilaweb – Os serviços jurídicos de Acció Cultural del País Valencià (ACPV) estudam interpor umha denúncia penal contra o pessoal de emergências do Centro de Saúde de Crevillent (Baixo Vinalopó) por denegar assistência médica a um paciente por falar catalám.

O cidadám acudiu no passado seis de janeiro às emergências do centro, afetado de febre alta e mal-estar geral, mas o médico recusou-se a atendê-lo porque, segundo dixo, nom entendia catalám. O denunciador explicou que perguntou se havia lá qualquer outro facultativo que o pudesse assistir, mas respondêrom-lhe que naquele centro havia apenas um médico.

De seguido solicitou a folha de reclamaçons por nom poder exprimir-se na língua oficial do País Valenciano com a administraçom pública, e por nom ter sido atendido nesse centro de saúde. Isso fizo com que a equipa de plantom que lá estava fizesse comentários sarcásticos, afirmou o denunciador, quem também colocou o caso em maos do serviço jurídico da ACPV, que estuda apresentar denúncia penal contra os implicados por denegaçom de um serviço básico por razons de discriminaçom lingüística.

 

+ Ligaçons relacionadas: