O 74,8% dos votantes letons recusam que o russo seja segunda língua oficial

A regiom oriental de Latgália apoiou a oficializaçom do russo

Quarta, 22 Fevereiro 2012 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Propagando polo Sim

Nationalia - Com umha participaçom de 71%, o resultado confirma o letom como única língua oficial do país báltico. O presidente Berzins pede um debate sobre o “reforço do Estado letom”. A maioria dos votantes na regiom oriental de Latgália dam apoio a um status oficial para o russo, Moscovo di que o referendo foi “injusto” pola exclusom dos russos étnicos.

O 74,8% dos votantes num referendo constitucional recusárom este sábado a introduçom do russo como segunda língua oficial do país. O referendo convocou-se no final de 2011 depois que a organizaçom prorussa Dzimtā valoda (Língua materna) liderasse umha recolhida de assinaturas que forçou às autoridades letoas a consultarem a populaçom. Assim, e de acordo com os resultados da votaçom, o russo nom recuperará o status que tivo durante o período soviético, e o letom continuará sendo a única língua oficial do país báltico.

A participaçom do referendo quase atingiu o 71%. A cifra mostra claramente o amplo interesse que o assunto do status do russo conseguiu entre a sociedade letoa. De cinco regions, só em umha (Latgália, a mais oriental) a maioria dos votantes dérom apoio à introduçom do russo como segunda língua oficial (dados oficiais aqui).

Moscovo critica a "injustiça" do referendo

Apesar de que o resultado foi bastante claro, o governo russo nom está satisfeito com a forma como se fixo o referendo. Segundo Voice of Russia, o porta-voz do ministério de Assuntos Estrangeiros russo, Aleksandr Lukaixévitx, dixo que o referendo é "injusto", porque 320.000 russos étnicos na Letónia nom som cidadáns de pleno direito, e portanto nom podem tomar parte nos referendos. Em qualquer caso, as cifras propostas por Lukaixévitx nom coincidem com os dados oficiais mais recentes: o censo letom de 2011 di que a populaçom total de residentes sem cidadania é de 290.000 pessoas.

Os russos étnicos somam ao redor de 27% da populaçom total de Letónia, com umha cifra total de 556.000 pessoas. Isto significa que mais da metade dos russos étnicos que vivem no país báltico obtivérom a cidadania. Perto de 62% da populaçom som letons étnicos, enquanto que o 11% restante pertencem a outros grupos étnicos.

O presidente Berzins: Letónia é o único país onde o letom pode existir


Enquanto isso, Andris Berzins, presidente da Letónia, agradeceu aos votantes que tenham impedido que o russo se torne de novo língua oficial: "A Letónia [é] o único país no mundo onde a língua letoa [...] pode existir [e] desenvolver-se", dixo num comunicado na sua web oficial. Berzins acrescentou que o voto "tinha posto em perigo um dos fundamentos mais sagrados da Constituiçom: a língua estatal" e que tinha chegado o tempo de iniciar "uma discussom séria sobre o reforço dos fundamentos da Constituiçom e sobre uma mudança no modelo de poder com o único objetivo de reforçar o Estado letom e do proteger tanto como seja possível de qualquer ameaça aos seus fundamentos no futuro".

 

+ Ligaçons relacionadas: