A justiça pom condiçons à imersom linguística na Catalunha

O TSJC permite às famílias que o pediam escolarizar os filhos em castelhano

Sexta, 09 Março 2012 20:23

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - Os vinte e quatro magistrados da sala contenciosa administrativa do Tribunal Superior de Justiça da Catalunha (TSJC) decidírom (pdf) admitir excepçons à imersom lingüística na escola, de tal maneira que todas as famílias que o pedirem poderám ser escolarizadas com o espanhol como língua veicular; será o caso das três famílias que apresentárom o recurso e que fôrom defendidas polo advogado Ángel Escolano.

Foi o próprio Escolano que explicou a decisom dos magistrados umha vez que esta se tornou efectiva. Foi a resposta ao recurso apresentado pola Generalitat à sentença que obrigava as escolas a incluir o castelhano como a língua veicular.

O tribunal di que nom pode fazer um pronunciamento geral sobre o uso do castelhano como língua veicular no sistema educativo catalám.

A decisom judicial di que admite parcialmente o recurso de reposiçom apresentado pola Generalitat e marca a obrigaçom que tem de atender o pedido das famílias que apresentárom o recurso. E especifica que a decisom nom se refere 'a todo sistema educativo na Catalunha'.

A decisom foi aprovada com 21 votos a favor e o voto particular dum dos magistrados. A Convivència Cívica Catalana (CCC) já anunciou que recorrerám da decisom ao Supremo.

Mas: 'Estamos onde estávamos e nom nos moveremos daqui'

O presidente da Generalitat, Artur Mas, fijo umhas declaraçons de urgência quando se soubo a decisom dos magistrados. 'Polo que sabemos, e com prudência enquanto nom lermos a letra pequena, podemos dizer que estamos onde estávamos e que nom nos moveremos daqui'.

Os precedentes

Em 2 de setembro o TSJC proferiu um despacho (pdf) dando ao Departamento de Ensino um prazo de dous meses para que introduzisse o castelhano como a língua veicular nas escolas. Desse modo queria fazer cumprir as sentenças do Supremo Tribunal espanhol, que recebera queixas de quatro famílias, e do Tribunal Constitucional, contra o estatuto.

A sentença do Tribunal Constitucional espanhol sobre o estatuto considera o castelhano língua veicular do ensino, igual que o catalám. Uns pais pedírom amparo ao Supremo e este deu-lhes a razom.

O recurso de reposiçom da Generalitat que hoje estuda o TSJC baseia-se na Lei de Educaçom da Catalunha (LEC), que também foi recorrida junto do TC polo Partido Popular. Nom é claro que hoje mesmo poda haver sentença, mas espera-se que haja as habituais filtraçons sobre a deliberaçom.


+ Fonte original: