O romanche, três quartos de século como quarta língua nacional da Suíça

Um referendo, com 92% de votos afirmativos, deu reconhecimento ao idioma em 1938 · O estatuto oficial só véu em finais do século XX · O idioma, falado por 60.000 pessoas, enfrenta o desafio de escolher o padrom de língua para a escola: umha única variedade-padrom, ou várias variantes dialetais

Quinta, 07 Março 2013 10:26

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Nationalia - O único estado oficialmente quadrilingüe da Europa, Suíça, comemorou nestes últimos dias o 75º aniversário da declaraçom do romanche como língua nacional do país. Umha declaraçom que, no entanto, nom conduziu automaticamente à oficialidade do idioma, que terá de esperar até 1996.

De forma bem tipicamente suíça, em 20 de fevereiro de 1938 os cidadaos da Confederaçom fôrom às urnas para votar em referendo se declaravam o romanche como a quarta língua nacional. O resultado foi impressionante: 92% manifestárom-se a favor de situar esta língua románica com o mesmo grau de reconhecimento simbólico que o alemám, o francês e o italiano. O contexto da época ajudou: pressionada do sul polo fascismo italiano – que afirmava que o romanche era um dialeto italiano, e nom umha língua -, a Suíça nom achou melhor jeito de reagir contra semelhante argumento que reconhecer o idioma e elevá-lo a língua nacional.

O estatuto oficial do romanche, porém, só em 1996 se tornou realidade, quando outro referendo aprovou umha modificaçom da Constituiçom de Suíça segundo a qual a língua passava a ser "oficial para as relaçons que a Confederaçom mantém com as pessoas de língua romanche". Igualmente, o romanche é também umha das três línguas oficiais do cantom do Grisons, onde reside boa parte dos seus cerca de 60.000 falantes.

Para festejar o aniversário, um rap que nem toda a gente apreciou

A paisagem, contodo, nem sempre é assim tam idílica. Se é certo que o romanche tem umha proteçom legal que a maioria de comunidades lingüísticas menorizadas consideraria digna de inveja, também é preciso apontar que de tanto em tanto deve defrontar atitudes de desprezo. Tal foi o que aconteceu aquando do lançamento da cançomBelieve, por parte do grupo de rapeiros The Swiss Avengers. O tema é cantado em inglês, romanche, francês, alemám e italiano. Mas o grupo, explica20 Minutes, denunciou que um programador musical da cadeia Zürisee lhes enviou umha carta a criticá-los por cantarem em romanche, umha língua "inútil", e a anunciar-lhes que na sua estaçom a cançom nom seria programada.

Outro desafio – de natureza bastante diferente - é a qüestom do modelo da língua, dividida em cinco grandes dialetos, dous dos quais com tradiçom literária — o sobressilvano e o baixo engiadinês. Na década de 1980, e com o objetivo de que se empregasse como a forma padrom de todos os dialetos, foi criada umha variante literária unificada, o rumantsch grischun, promovido pola Lia Rumantscha. Mas os opositores ao rumantsch grischun agrupárom-se na associaçom Pro Idioms, que reclama a sobrevivência das cinco variedades, inclusive no sistema educativo. A Lia argumenta que umha comunidade de 60.000 falantes nom se pode permitir ter cinco variedades-padrom, enquanto a Pro Idioms assegura que o rumantsch grischun é umha imposiçom externa à comunidade de fala romanche.

Ainda que o cantom dos Grisons tenha insistido muito na introduçom do rumantsch grischun em todas as escolas de língua romanche, nos últimos anos resolveu diminuir a pressom e, em 2011, anunciou que tornaria a traduzir os manuais escolares para três das cinco variedades dialetais. E no ano seguinte, a Pro Idioms e a Lia Rumantscha assinárom um acordo, umha espécie de pax linguistica, para combinarem a presença do rumantsch grischun e dos dialetos no ensino.

 

As áreas lingüísticas da Suíça. O romanche, em cinza fosco na zona sul-oriental

Imagem: Wikipedia/Sansculotte