Catalám e castelhano, dominantes nos usos lingüísticos dos escolares de Andorra

Um estudo sociolingüístico conclui que a língua própria do país se mantém forte no uso escolar formal e informal, no relacionamento com a administraçom e em determinados usos do lezer juvenil · O português ultrapassa o francês como terceira língua mais habitual · Sete em cada dez alunos manifesta um sentimento identitário andorrano

Segunda, 18 Março 2013 18:18

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Nationalia - O catalám e o castelhano som, de longe, as duas línguas que mais usam os escolares de Andorra, segundo um estudo elaborado no curso passado e que foi apresentado esta semana . Perguntados sobre qual é a língua de uso habitual dos alunos, 21,8% dixérom que eram tanto o catalám como o castelhano, enquanto 21% dixérom que só o catalám e 10%, que sobretodo o catalám.

O castelhano, no entanto, também se mantém forte, porque 10% dos alunos declarárom só usar esse idioma, e outros 8,9% dixérom que sobretodo falavam nessa língua. E ainda outros 8,5% assegurárom que combinavam o português e o castelhano.

Somados esses dados e outras combinaçons de línguas menos empregadas, resulta que 58% dos escolares usam habitualmente o catalám, enquanto 50% usam com frequência o castelhano. A percentagem relativa ao português é de 16%, enquanto a do francês se situa em 7%.

O estudo foi elaborado pola socióloga Estel Margarit durante o ano 2012, para o qual inquiriu 2.551 alunos dentre 12 e 16 anos. É a totalidade da populaçom escolar dessa faixa etária, salvo os alunos do Col·legi del Pirineu (e portanto inclui os jovens que tenhem a nacionalidade andorrana e os que nom a tenhem, nados em Andorra ou nom).

Bilingüísmo também com os colegas de turma

O estudo debruça-se também sobre a língua que usam os alunos para a falar com os seus colegas de escola. Também neste caso se detecta um uso extenso do catalám e do castelhano, mas com diferenças notáveis consoante o sistema escolar. Assim, nas escolas andorranas e congregacionais, os alunos usam muito mais o catalám do que o castelhano para falar com os companheiros. Polo contrário, nas escolas francesas e, sobretodo, nas espanholas, é o castelhano a língua que predomina.

Fora da escola, os alunos dim que usam catalám e castelhano em níveis similares (cerca de 70% em ambos os casos) para falar com os amigos e para ir às compras. Em contrapartida, para se relacionarem com a administraçom, o catalám é, de longe, a língua preferida (95%, contra 21% que o fai em castelhano).

No sector do lezer, polo contrário, o domínio do castelhano é muito grande, sobretodo nos videojogos, no cinema ou nas redes sociais. O catalám obtém resultados superiores a 50% só no que di respeito ao consumo televisivo e ao de livros, jornais e revistas. Nom espanta que a língua que domina no ócio musical (90%) seja o inglês.

Catalám e castelhano, as línguas mais sentidas como próprias

O estudo de Margarit entra também a inquirir qüestons relacionadas com a identidade dos alunos e a língua. 71% dim que sentem o catalám como a língua própria, percentagem que é de 65% no caso do castelhano, 24% do português e 20% do francês. Entre os alunos de nacionalidade andorrana predomina mais a consideraçom do catalám como a língua própria, quer exclusiva quer conjuntamente com mais idiomas.

Quanto ao sentimento identitário – e admitindo respostas múltiplas –, 71% dos escolares inquiridos dixérom que se sentiam Andorranos, enquanto 21% se declarárom Espanhóis e 17%, Portugueses. O sentimento catalám foi declarado por 14%, e o francês, por 6%. 46% dos alunos dixérom que só se sentiam Andorranos. O sentimento de andorranidade é especialmente elevado entre os alunos que tenhem a nacionalidade andorrana ou os que nascêrom na Catalunha (86% e 84%, respectivamente).