Assembleia da Córsega votará sobre a aprovação de um status de cooficialidade para o corso

O presidente do Conselho da Língua Corsa espera uma "maioria forte" a favor · O texto prevê o uso do corso nas escolas e nas relações com a administração pública · O projecto admite que a cooficialidade só poderá ser implementada se for emendada a Constituição francesa

Terça, 23 Abril 2013 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Nationalia - A Assembleia da Córsega votará na semana que vem uma proposta que poderia dar status cooficial à língua corsa, apesar que também faria falta uma reforma da Constituição francesa para que a cooficialidade possa entrar em vigor. Os deputados corsos votarão sobre a questão quinta-feira 25, durante a próxima sessão da Assembleia.

O texto que será apresentado aos deputados foi preparado por Pierre Ghionga, presidente do Conselho da Língua Corsa. O projecto prevê que "o francês e o corso são as línguas oficiais da Córsega" e que ambos idiomas poderão ser usados por qualquer cidadão nas suas relações com a administração pública. O texto quer que o corso seja usado como língua veicular nas escolas, e estabelece um objectivo claro: no final da escolarização, todos os alunos têm de ter um bom domínio do corso e do francês.

A proposta corsa é uma novidade em França, onde o francês é a única língua oficial, tal como prescreve a sua Constituição. Este é o motivo pelo qual os impulsores do estatuto de cooficialidade sublinham que este só poderá ser implementado se França aceitar reformar a sua Carta Magna. Numa entrevista a Corse Limpo Infos, Ghionga diz que precisamente esta é a razão pela qual é tão importante que os deputados corsos dêem um "voto em massa" a favor da cooficialidade: "Temos de ter uma posição democrática. [...] Não vejo como a República Francesa poder-se-ia opor à vontade democrática de uma região", argumenta.

Dos 51 deputados corsos, é previsível que todos os 15 que pertencem aos partidos nacionalistas corsos dêem apoio. Dos outros 36, Ghionga espera que um bom número também vote a favor: "Espero uma maioria forte" pela cooficialidade, disse. O presidente do Conselho da Língua Corsa recorda que, há dois anos, 36 deputados votaram uma moção que se manifestava favorável a um eventual status de cooficialidade para o corso.

A mudança, mas, tem a oposição de deputados de direitas e de esquerdas, bem como também de algumas associações centralistas. Entre as mais destacadas, explica Corse-Matem, está Corse-France. Segundo os seus membros, o corso só ter-se-ia de aprender e falar "voluntariamente" e "na família".

Em 2009, deputados independentistas apresentaram uma moção a favor de declarar o oficialidade do coraso. A proposta foi derrotada por 19 votos a favor e 28 contrários.

 

+ Mais informação:

Córsega/Corsica

Dados gerais
População: 279.000 habitantes (2006)
Superfície: 8.860 km2
Instituições: Conselho Executivo da Córsega e Assembleia da Córsega
Cidades importantes: Aiacciu, Portu-Vecchjiu, Bastia
Administração estatal: França
Língua territorial: corso e lígure
Língua oficial: francês
Data da festa nacional: 8 de dezembro
Cultura religiosa: cristã católica