'O Pequeno Príncipe', uma janela ao mundo para as línguas menorizadas

O conto, que celebra o seu 70º aniversário, é uma das obras mais traduzidas da história · As suas múltiplas edições incluem versões em cerca de 210 línguas · A obra conta com seis versões ocitanas · Comunidades linguísticas muito pequenas, como a córnica, a frísia setentrional ou a sami, também contam com tradução própria

Segunda, 22 Abril 2013 10:08

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

O Pequeno Príncipe: capa em língua sami

Nationalia - Que têm em comum a Bíblia, Tintim, Pinóquio ou Júlio Verne? Entre outras coisas, são obras, personagens ou autores que foram traduzidos a dezenas e dezenas de línguas, entre as quais se contam uma cheia de idiomas menorizados que não costumam a ter versões próprias dos livros que são editados no mundo. Sem qualquer tipo de dúvida, a esta breve mas insigne lista faz falta acrescentar um título que neste mês de abril celebrou o seu 70º aniversário: O Pequeno Príncipe.

A obra de Antoine de Saint-Exupéry, de fato, já teve um nascimento editorial bilingüe, porque o livro apareceu em 1943 em versões francesa e inglesa, ambas editadas pela casa Reynal & Hitchcock em Nova Iorque (naquele tempo, parte de França estava sob ocupação alemã e a outra parte, sob o regime colaboracionista de Vichy). Mas este era só o início de um caminho verdadeiramente multilingue e que, até ao momento, viu como O Pequeno Príncipe era publicado em mais de 200 variantes linguísticas diferentes.

Quantas são, exatamente? Um colecionista catalão residente no Brasil, Jaume Arbonès, assegurava nas páginas de El Periódico há um par de anos que ele tinha todas as edições, e que somavam 204. Este outro colecionista, que tem localizado o seu espaço web num domínio austríaco, afirma que na sua colecção há 216 versões diferentes. No web thelittleprince.como calculam que o número de versões se situa por volta das 210.

O que se passa é que, em alguns casos, para uma mesma língua há disponíveis várias versões em variantes diferentes. Em catalão, por exemplo, há uma tradução em catalão central, outra em valenciano e ainda outra em catalão impresso em braille. Passa o mesmo em ocitano, que tem traduções llenguadociana, gascona, llemosina, provençal, niçarda e aranesa. Outras línguas com edições dialetais diversas são o frísio setentrional ou o romanche.

Em geral, o continente europeu mostra uma grande profusão de traduções em línguas menorizadas. Para um livro tão popular, quiçá não é uma surpresa que esteja disponível em sardo, em bretão, em galês, em éuscaro ou em galego ILG-RAG. Mas seguramente sim que chama mais a atenção que se tenham publicado versões para comunidades de falantes bem mais exigüas, como em aragonês, em extremenho, em eu-naviego ou em mirandês, por ciitar algumas da Península Ibérica. O córnico, o bavaro, o napolitano ou o sami (capa nesta língua, na imagem que acompanha o artigo) são outras línguas e variedades linguísticas que contam com a sua própria versão.

 

+ Mais informação:

  • Uma web que tenta atualizar todas as versões de O Pequeno Príncipe que vão sendo editadas no mundo.