Inquérito Nacional dos Lares revela estado das línguas no Canadá

Sexta, 10 Maio 2013 09:03

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - Conforme o Inquérito Nacional dos Lares, cujos dados só começam a ser conhecidos agora, as línguas aborígenes no Canadá têm 240.000 falantes; 50% da população canadiana é monolingue inglesa e 11%, monolingue francesa; e até 58% dos imigrantes no Quebeque aprendem dantes o francês que o inglês.

O Instituto Estatístico do Canadá, responsável pela elaboração do inquérito, advertiu que, ao fazer qualquer comparação com inquéritos anteriores, faz falta ter em conta que os dados provêm do ENL 2011, que os recolheu de aproximadamente um terço dos lares canadianos. É uma mostra estatística enorme e bastante fiável, mas faz falta lembrar que os dados anteriores a estes provêm dos censos, que abrangiam a totalidade da população.

Segundo o inquérito, a percentagem de pessoas que se declaram parte de um povo autóctone passou de 3,8% em 2006 aos 4,3 da população total do Canadá em 2011. Assim, 851.000 autóctones disseram ser membros unicamente das Primeiras Nações, um dos três grandes grupos, enquanto que 451.000 se declararam unicamente métis (grupo étnico reconhecido oficialmente, com uma cultura própria e singular, formado pela mestiçagem de autóctones e de colonos franceses e britânicos nos século XVIII e XIX) e 59.000, unicamente inuits. 11.400 pessoas declararam mais de uma identidade autóctone.

Estes dados, porém, não têm um reflexo direto no número de pessoas que falam as línguas autóctones próprias destes grupos. Só 240.000 pessoas, 17% dos autóctones, declararam que eram capazes de falar alguma das suas línguas. No entanto, há diferenças marcantes dependendo do grupo: 63,7% dos inuits disseram que falavam um idioma autóctone (sobretudo o inuktitut), número que baixava aos 22,4% dos membros das Primeiras Nações e que se afundava até os 2,5% no caso dos métis.

Inglês e francês continuam ocupando um lugar preeminente

O ENL também faz um retrato do domínio das línguas por parte da população canadense. As duas oficiais do país, o inglês e o francês, continuam sendo as mais faladas, com diferença. 50,4% da população afirma ser monolingue inglesa, e 11,5%, monolingue francesa. 13,3% dizem que sabem falar as duas línguas, e mais 4,3% asseguram que falam inglês, francês e, no mínimo, mais um outro idioma.

A imprensa quebequesa reparou nos dados linguísticos referidos ao Quebeque. Um dos resultados que foi sublinhado é o fato que um em cada cinco imigrantes residentes nesta nação francófona sem estado seja incapaz de falar em francês. Mas apesar disso, o responsável da secção linguística do Instituto Estatístico do Canadá, Jean-Pierre Corbeil, destaca que o francês foi avançando progressivamente entre a população imigrante do Canadá. Segundo os seus dados, em 1996 só eram 46% os imigrantes no Quebeque que aprendiam o francês dantes que o inglês. Agora, quinze anos mais tarde, os números chegam aos 58%.

 

+ Fonte: