O valenciano é umha linguagem ibera, segundo umha proposiçom delirante do PP nas Cortes

Quer aprovar umha proposiçom nom de lei de tramitaçom de urgência para exigir à Real Academia Española o reconhecimento do valenciano como língua nom catalá

Quinta, 27 Junho 2013 00:07

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - O Partido Popular continua a sua deriva contra a língua no País Valenciano e fai-no sem nengum género de razom académica. Agora pretende aprovar umha 'proposiçom nom de lei de tramitaçom especial de urgência' que exige à Real Academia Española o reconhecimento 'do valenciano na sua categoria de língua ou idioma próprio dos valencianos', com umha argumentaçom delirante. Afirma que o valenciano é umha evoluçom do ibérico que recebeu depois contributos fenícios, gregos e latinos até chegar à forma actual.

Numha exposiçom de motivos cheia de faltas de ortografia, o PP di que 'depois de dezenas de milhares de anos de vida durante a pré-história, com a cultura ibérica no território da atual Comunidade Valenciana, do [rio] Sènia até ao Segura, os Valencianos começam a escrever um dos períodos mais brilhantes da história de Espanha'.

'Na cultura ibérica encontramos os Valencianos o germe da nossa atual, plasmada de maneira comprovada nos documentos arqueológicos que se descobrírom: festas, costumes, folclore, economia, religiom, sociedade e língua.'

E acrescenta: 'a fala dos valencianos, que parte sem dúvida da mais profunda pré-história, escreve-se desde o século VI antes de Cristo com a linguagem ibérica e, depois dos contributos sucessivos fenícios, gregos e latinos, chegou aos nossos dias na forma em que a conhecemos.'

E ainda: 'Atualmente, o nosso idioma valenciano, depois do fecundo Século d'Ouro das letras valencianas, o primeiro da península, e depois da cultura posterior durante pouco mais de seis centos anos, acadou umha identidade e personalidade de seu que permitem considerá-la, sem dúvida, como língua ou idioma, de jeito que os Valencianos temos todo o direito do mundo de designá-las e regulá-la como considerarmos conveniente, tal como reconhecêrom e reconhecem os mais reputados e independentes filólogos e lingüístas.'

E a seguir reclama à RAE o retorno à definiçom que fijo do valenciano em pleno franquismo, em 1959: 'A Real Academia Española de la Lengua, no seu dicionário de 1959, definiu o valenciano como a "língua falada na maior parte do Reino de Valência", segundo acordo académico da douta instituiçom.' E denuncia a alteraçom desta definiçom em 1970, umha alteraçom que atribui ao académico Rafael Lapesa. Desde entom, a RAE define o valenciano como a variedade do catalám.

E resolve: 'As Cortes [valencianas] instam o Conselho a dirigir-se à RAE, solicitando que em virtude dos acordos de 1959, e de quanto estabelece o vigente Estatuto de Autonomia da Comunidade Valenciana, seja reconhecida ao valenciano a sua categoria de língua ou idioma próprio dos valencianos que se fala na major parte da Comunidade Valenciana, e assim o faça constar na próxima ediçom do Dicionário.'

 

 

+ Fonte original:

  • Vilaweb [Autoria: Pere Cardús i Cardellach]