O Governo valenciano fechará Rádio Televisom Valenciana "tam rápido" como possível

A decisom do executivo valenciano deixa a grelha valenciana sem nengum canal em catalám de alcance geral · O encerramento chega depois de a justiça declarar ilegal o plano de despedimentos aplicado a 1.000 trabalhadores do ente público · A oposiçom, unánime contra a decisom do governo

Quinta, 07 Novembro 2013 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Nationalia - O governo do País Valenciano decidiu anteontem fechar a radiotelevisom pública (RTVV) logo depois de a justiça declarar ilegal o plano de despedimentos (ERE, nas suas siglas em castelhano) que deixava sem trabalho 1.000 dos 1.600 trabalhadores do ente público. Assim sendo, o governo valenciano argumentou que nom tinha dinheiro para readmitir os 1.000 trabalhadores, e que a única soluçom que lhe restava era fechar completamente a empresa pública.

O presidente da Generalitat, Alberto Fabra, dixo onte de manhá que o fechamento é "inegociável" e que se aplicará "tam rápido" com for possível. Com este fechamento, o governo nacionalista espanhol do Partido Popular deixa a grelha valenciana sem nenhum canal em língua catalá de alcance geral, depois de que em 2011 o executivo valenciano resolvesse interromper as emissons da Televisom da Catalunha (TVC).

Imediatamente depois do anúncio, os trabalhadores da RTVV lêrom, em direto, um manifesto (imagem da abaixo) em que qualificavam de ato de "vileza" e de "covardia" a decisom, sobretodo tendo em conta que a má situaçom económica do ente é causada por umha "má gestom política e económica". Os trabalhadores recordárom que os canais da RTVV, durante os últimos 24 anos, contribuíram para a "difusom da nossa história, cultura e língua".

A oposiçom, unánime contra a decisom do governo valenciano

Todos os partidos da oposiçom nas Cortes Valencianas reagírom imediatamente contra a decisom tomada polo executivo.

O principal partido opositor da cámara, o Partido Socialista do País Valenciano (PSPV), criticou através do seu secretário-geral, Ximo Puig, que Fabra "liquidasse" a radiotelevisom pública depois de se ter servido dela para fazer propaganda política durante 20 anos.

Enric Morera, de Compromís, dixo que o fechamento era o produto da "incompetência" dos membros do PP no governo. E acrescentou ainda que o País Valenciano "necessita" dumha radiotelevisom sem "corrupçom, pública, de qualidade e em valenciano".

Pola sua banda, a Esquerda Unida do País Valenciano reclamou a Fabra que se demitisse. Segundo a formaçom de esquerdas, os políticos do PP no governo deveriam ser levados perante a justiça por terem "arruinado, saqueado, manipulado e censurado RTVV durante quase vinte anos".

 

Trabalhadores da RTVV contra o fechamento

Sinal ao vivo de 'Nou', a nova marca do canal