Num congresso na Corunha pedem para um português falar espanhol

Na seqüência do VI Congreso sobre Migraciones en España

Sexta, 25 Setembro 2009 07:47

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - Polo seu interesse, reproduzimos a seguir o conteúdo de umha queixa que um leitor do País Basco remeteu à caixa dos correios do Portal Galego da Língua. Trata do que aconteceu a um português que quijo falar na língua comum no nosso país.

 

Na segunda jornada do VI Congreso sobre Migraciones en España, que decorreu de 17 a 19 de setembro na cidade da Corunha, estava fixada umha mesa redonda do professor Jorge Silva Macaista Malheiros, do Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa.

O prestigiado professor, nom sabemos se polo facto de estar ciente de se encontrar na Galiza e nom em mais um lugar da Espanha, começou a sua exposiçom na língua comum galego-portuguesa.

A situaçom criou um certo balbordo na sala, pois várias pessoas perguntárom se nom haveria traduçom. Fiquei surpreso por esse pedido, já que mesmo nom conhecendo essa 'estranha língua', qualquer conhecedor de um outro dialecto do latim com um mínimo de interesse e atençom poderia compreender sem muitos problemas que o professor estava fazendo umha saudaçom na língua do lugar em que decorria o congresso, a Corunha.

O próprio moderador da mesa interrompeu o professor espetando-lhe «¡pero si tú hablas perfectamente en castellano!». O professor Macaista respondeu em português, enquanto algumha pessoa, mais atenta, tratava de explicar ao nervoso moderador que lhe estava a dizer que faria a saudaçom em português.

Curiosamente, a ponência anterior tinha sido na íntegra em inglês, sem qualquer serviço de traduçom nem protestos.