Vai caindo o conto da 'terceira língua'

Em 8 ou 10 anos poderia começar a implantar-se

Quarta, 10 Fevereiro 2010 09:49

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

AGIR - A cortina de fumaá do inglês esvaece. O próprio Partido Popular está a reconhecer, em boca dos mais directos responsáveis polo novo decreto, que o reparto percentual das línguas nas aulas será de 50% galego, 50% espanhol.

Tenhem mesmo indicado o período para levar à prática a 'questom da terceira língua': em 8 ou 10 anos poderia começar a implantar-se.

Mais umha vez, o PP dá amostras de tentar manter-se no poder da Junta galega fazendo difíceis equilíbrios que acabam por ruir na primeira discussom séria. O que nom se pode fazer, nom se vai fazer. O inglês continuará a ocupar o seu espaço como matéria troncal no ensino ao fazer de primeira língua estrangeira (contando-se espanhol e galego como próprias).

De resto, e aprofundando na sua própria realidade paralela, Feijó tem reivindicado que ele gosta do português como quarta língua... Como vemos, ainda nom demos aprendido a primeira e a equipa ultraconservadora mantém o rumo propagandístico sob o encantador conceito do plurilingüismo, que tam bom reflexo tem nos meios e nos debates políticos dos opinólogos espanhóis.

Entretanto, o galego permanece ancorado, entre discussons sobre percentagens, numha fochanca sem saída com a classe política actual. Sem perspectivas de amparo polos poderes económicos e institucionais, o caminho da dialectalizaçom respeito do espanhol vai avante entre números: 33, 50...

NEM 33% NEM 50%, NA GALIZA ENSINO 100% EM GALEGO!