Voto de protesto da Câmara Municipal de Valença pela supressão do transporte ferroviário internacional

«A decisão da CP, tomada de forma unilateral e sem qualquer informação prévia aos Municípios e populações, é reveladora do desinteresse desta na defesa do serviço público de transportes na euro-região»

Quinta, 07 Julho 2011 06:28

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - Reproduzimos na íntegra o comunicado reencaminhado pela Câmara Municipal de Valença com motivo da decisão da empresa Comboios de Portugal (CP) de suprimir o serviço ferroviário que liga esta vila portuguesa com a Galiza.

A Câmara Municipal de Valença, após tomar conhecimento oficial da intenção da empresa Comboios de Portugal (CP) em suprimir o serviço de transporte ferroviário internacional de passageiros Valença/Vigo/Valença, considera que:

1. A decisão da CP, tomada de forma unilateral e sem qualquer informação prévia aos Municípios e populações, é reveladora do desinteresse desta na defesa do serviço público de transportes na euro-região Norte de Portugal-Galiza, em contraste com o empenho dos municípios na criação duma rede de transportes públicos, rodo e ferroviários, liderado pela Uniminho;

2. O serviço suprimido é o único existente no Norte do país que liga Portugal à Galiza e à Europa, sendo por isso da maior importância para as relações empresariais, culturais e económicas de toda a euro-região;

3. Numa região que aposta no turismo, com factor determinante na economia regional, numa fase de grande dinâmica do caminho português a Santiago de Compostela, perder a ligação ferroviária da Europa a Portugal pelo Norte é desviar milhares de turistas da região;

4. Num mundo em que a globalização se apresenta como factor determinante no desenvolvimento e competitividade das regiões, eliminar uma via de comunicação transfronteiriça é reduzir os factores de competitividade deste território, já de si carenciado;

5. É essencial criar as condições para a sustentabilidade desta linha, em detrimento da solução mais fácil, a supressão, através da sua modernização, há muito reclamada pelos municípios e populações;

6. A decisão de suprimir a ligação Valença/Vigo no momento em que Portugal considerava, ainda há poucos meses, essencial a ligação de alta velocidade, com 10 comboios diários, é um contracenso.

A Câmara Municipal de Valença, dada a importância da ligação ferroviária à Galiza e por considerar que existem alternativas à supressão deste serviço, com mais de 125 anos, é absolutamente contra a medida anunciada pela CP – Comboios de Portugal, tendo aprovado por unanimidade voto de protesto, na sua reunião de 06 de Junho de 2011.