A. C. Almuinha inicia campanha pola língua: «Em galego, todo é possível»

Apesar da melhor perceçom social do galego nas últimas décadas, ainda persistem prejuízos lingüísticos que é preciso desmontar, polo qual cumpre difundir valores positivos associados ao nosso idioma

Sexta, 11 Janeiro 2013 08:46

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

A. C. Almuinha - Da a A.C. Almuinha queremos informar que começamos umha cmpanha pola língua que desenvolveremos nos vindoiros meses baixo o lema «Em galego todo é possível». Esta campanha, que vai dirigida a toda a cidadania marinense, pretende conseguir umha maior sensibilizaçom em relaçom com a língua, e constitui umha primeira fase de um projeto muito mais amplo e ambicioso, que terá continuidade com campanhas mais específicas dirigidas a setores concretos da nossa sociedade, e que terá como objetivo final avançar na implantaçom social do galego em Marim.

Se na Galiza a situaçom atual do galego é complicada, vendo-se refletida nos sucessivos estudos que analisam a evoluçom de uso das línguas, e que demonstram umha continuada perda de falantes de galego, em Marim a situaçom é catastrófica, posto que o processo de substituiçom da língua própria da Galiza polo castelhano está muito mais avançado que noutras zonas do País. Nom há mais que achegar-se a qualquer um dos parques infantis ou a qualquer escola da nossa vila para comprovar in situ a gravidade da situaçom: o uso do galego entre as faixas de idade mais novas, que som quem têm que garantir o futuro da língua, é nulo.

Apesar da melhor perceçom social do galego nas últimas décadas, ainda persistem prejuízos lingüísticos (juízos de valor emitidos sobre umha língua ou sobre os/as falantes dela com o propósito de provocar a sua rejeiçom) que é preciso desmontar, polo qual cumpre difundir valores positivos associados ao galego.

Com esta campanha pretendemos contribuir a reforçar os coletivos galego-falantes convencidos, assim como promover mudanças nas demais pessoas e grupos (galego-falantes nom convencidos, bilingües e espanhol-falantes nom acérrimos). Pretendemos construir base social para conseguir uma mudança lingüística na nossa vila, sendo conscientes de que é preciso mudar a situaçom e valoraçom do galego e dos/as falantes, e que estas mudanças som graduais e parciais.

 

[Prima aqui para alargar o cartaz da campanha]