Disponibilizado o áudio da palestra ‘Galego e Médios de Comunicaçom’, por José Luís Gómez

Na exposiçom, Gómez analisou o uso que fam da Língua galega os meios da Galiza, quer na imprensa, quer na rádio, quer na televisom

Quarta, 14 Abril 2010 07:08

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Do Facho levam trabalhando desde o ano 1963 em favor da cultura galega

PGL – A Agrupaçom Cultural O Facho, da Corunha, disponibiliza no seu blogue o áudio e a crónica da última palestra organizada pola agrupaçom, proferida polo director do diário Xornal de Galicia, José Luís Gómez.

Na sua intervençom, e perante umha sala lotada de público, Gómez falou da nula presença da nossa língua nos meios de comunicaçom.

No segundo 2150 do áudio, Gómez fala sobre a conveniência da via reintegracionista, explicando que o pesquisador mais utilizado da rede, o Google, pensa que o galego é a mesma língua que o português. Pelos vistos, o robot que há em Nova Iorque indexando as notícias para Google news Brasil e Portugal, pega nas elaboradas na Galiza, redigidas na variante oficialista. Nesta linha, Gómez fala do seu relacionamento com cataláns que ,conscientes do potencial da nossa língua, frequentemente lhe comentavam: «Se nós chegamos a ter o galego, faríamos maravilhas! Com o galego podem-se fazer muitas cousas no mundo».

Oferecemos a seguir a crónica. O áudio pode ser escuitado na íntegra nesta ligaçom.

Com umha sala de interessado público, o director do Xornal de Galicia, José Luís Gómez, reflectiu sobre o uso que se lhe dá ao idioma próprio da Galiza na maior parte dos Médios, por cima de tudo, no actual contexto de conflito lingüístico que se está a viver nos últimos meses.

Para o palestrista, hoje no nosso País “já nom só há que falar de imprensa e galego, senom também, da imprensa e do galego”, em referência ao uso e defesa que fam da língua alguns médios de comunicaçom.

A sua exposiçom sobre a corrupçom financeira e moral que existe por parte da Junta de Galiza com os “mass média” é tal que se manifesta numha diabólica burla: que os médios que mais cobram com cargo aos orçamentos destinados á normalizaçom lingüística som os que menos galego publicam e os que menos a defendem, quando nom som esses mesmos médios os veículos de ataque para com a nossa Língua.

Mostrou com dados irrefutáveis como o galego só ocupa o 10% do tempo total das rádios e das televisons privadas e do espaço dos periódicos galegos, e isso sendo generosos.  Ao findar a sua exposiçom houvo um colóquio com grande participaçom dos assistentes.

 

+ Ligaçons relacionadas: