Acabárom com sucesso os cursos de português no Porto

Além de galegos, contámos com alunas de fora que tinham um grande vencelho com o galego-português

Sexta, 03 Setembro 2010 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Xosé Antom Serém - Nas primeiras semanas de agosto, várias turmas de alunos realizárom os Cursos de Português em Portugal, geridos por Andaime e a Associaçom Galega da Língua (AGAL). Com eles deu-se fim a esta inovadora experiência, que pretendeu, a partir do galego e através da imersom, melhorar a variante portuguesa da nossa língua, que tam pertinho temos.

As organizaçons convocantes, AGAL e Andaime, mostram a sua satisfaçom pola consecuçom dos objetivos estratégicos à hora de fazer os cursos: a melhora da qualidade do galego através do conhecimento da variante portuguesa; a constataçom da facilidade dos falantes galegos para se desenvolverem rapidamente em português; a força que lhe outorga a lusofonía à galeguidade e, por último, o conhecimento polo miúdo da diversidade urbana e cultural do Porto.

Alunado dos CPP na Academia inLingua

Ao redor de 20 pessoas involucramo-nos nestas duas semanas na vida cultural do Porto. As turmas, de entre 6 ou 7 pessoas, recebiam aulas numha cêntrica academia de 9 a 12h15. A composiçom das turmas era muito variada, com claro predomínio de mulheres (professoras, engenheiras, ambientalistas, lingüistas, etc.), mas com a inquietaçom comum polas culturas lusófonas. A grande maioria dos alunos eram galegos, mas também contámos com alunas de fora que tinham um grande vencelho com o galego-português, quer através da Galiza ou da Guiné-Bissau.

As professoras da Academia, segundo testemunho do alunado, fôrom muito profissionais e recetivas às propostas e dúvidas, com o qual as aulas desenvolvêrom-se com sucesso.

Depois das aulas houvo múltiplas conexões culturais na cidade, desde visitas guiadas até jam-session. Entre as visitas guiadas destacárom as da exposiçom de fotografia Resistência, no Centro Português de Fotografia, onde se lhe lembrouà guia o carinho da Galiza polo Zeca e a participaçom galega no assalto ao “Santa Liberdade”; na Casa da Música, ou no museo Soares dos Reis. Além disso, as turmas também pudérom passear pola cidade, conhecendo recantos giros, afastados do turismo, como os jardins do Horto das Virtudes ou o bairro das Fontainhas.

Exposiçom 'Resistência'

Também houvo encontros com responsáveis culturais do Porto, como o que se tivo com o diretor da Universidade Popular, Sérgio Vinagre, e com a colaboradora da mesma, Sónia Duarte, os quais explicárom como funcionava a veterana associaçom de educaçom popular. Outro encontro, auspiciado pola aluna Ana Miranda, foi com Joaquim Pinto de Almeida, livreiro e dinamizador cultural galego-português em Bruxelas, quem falou do seu grande interesse polas relações Galiza-norte de Portugal.

Nas comidas combinárom-se os pique-niques em parques com almorços em lugares com encanto, como o Maus Habitos, com cozinha brasileira; o Medevinagre, um furancho com comida angolana e cabo-verdiana ou o vegetariano Nakité.

No caminho romántico, numha das vistas sobre o Douro

À noite foi-se, entre outros, a diferentes sitios como Gato Vadio, a livraria-café alternativa, que conta já com os livros da Através | Editora para a venda; o Maria vai com as Outras, de ambiente queer; ou o Guindalense, um café popular ubicado na zona velha com umha esplanada espetacular sobre o Douro. Além disso, os alunos também fôrom a lugares com música ao vivo como a Academia Breyner ou O Armazém do Chá. Também vírom curtametragens exibidas polo Cineclube do Porto.

Com estas últimas turmas finaliza o projeto de este ano dos CPP ou Cursos de Português em Portugal, ideados por AGAL e levados a cabo em parceria por Andaime e pola Associaçom sem qualquer tipo de ajuda institucional.

 

+ Ligações relacionadas: