Emotiva homenagem ao professor Higino Martins em Oia

O povo de Oia honrou o ilustre lingüista e investigador com o descobrimento de umha placa comemorativa e a entrega do escudo do Concelho

Quinta, 18 Dezembro 2008 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Higino Martins em Oia (Baixo Minho)

PGL - O Concello de Oia rendeu homenagem no passado dia 15 ao professor Higino Martins, membro de honra da AGAL, académico da AGLP e um dos mais prestigiados investigadores da cultura e língua céltica. Embora afincado em Buenos Aires, o professor Martins é filho de emigrantes oienses.

A recepçom oficial decorreu de manhá e foi presidida polo alcaide de Oia, Alejandro Rodríguez Rodríguez. Igualmente estivérom presentes toda a corporaçom municipal, representantes dos Concelhos do Rosal e Baiona, representantes das entidades do Concelho de Oia (associaçons vicinais e culturais, comunidades de montes...), familiares e amigos.

Higino descobriu umha placa comemorativa na sua honra e recebeu o escudo e a insígnia do Concelho de maos do alcaide. O acto foi especialmente emotivo quando um dos familiares de maior idade lhe entregou umha ampliaçom de umhas fotos familiares antigas.

Martins estivo em Oia para apresentar a sua nova obra de investigaçom, As Tribos Calaicas, um estudo editado por Edições da Galiza que afunda nas origens celtas da toponímia galega. O professor viajou da Argentina à Galiza para apresentar esta obra em Santiago de Compostela, Ourense, Corunha e na cidade do Porto.

«É toda umha honra para o Concelho de Oia contar com um filho tam ilustre e reconhecido como Higino Martins. Por isso, nom quigemos deixar passar a oportunidade de homenagear como se merece esta personagem, um dos maiores especialistas na cultura celta e um dos melhores representantes de Oia em todo mundo», assegurou Alejandro Rodríguez.

«O acto da manhá do passado dia 15 foi especialmente emotivo já que, apesar de nom ter nascido em Oia, sinto-me um filho mais desta formosa localidade onde se criárom os meus pais e onde moram grande parte dos meus familiares directos», acrescentou Higino Martins.

No acto realizado de manhá, ademais, o Concelho de Oia repartiu exemplares do livro Conversas com Higino Martins, entrevista a este investigador realizada por Bernardo Penabade e Ángelo Gonçalves. Este livro foi publicado hai uns meses graças à colaboraçom da Fundaçom Comarcal Baixo Minho, do Concelho de Oia e da Associaçom Galega da Língua.

Já à tarde tivo lugar na Casa de Cultura de Vila de Suso a apresentaçom do seu livro, lugar onde contou também com um grande auditório e onde também se protagonizárom momentos muito emotivos.

O PGL disponibiza o áudio do evento bem como uma alargada foto-reportagem do emotivo e já inesquecível dia vivido por Higino Martins no dia 15 de Dezembro de 2008 em terras baixo-minhotas.

 

 
 

Descarregar MP3 [10.9 MB | 23 min]

Informaçom: Raquel Pérez, AEDL Concelho de Oia.

Fotografias: Raquel Pérez, AEDL Concelho de Oia; e Jesus Miguel Conde Llinars, vogal do Conselho da AGAL.

Áudio: Jesus Miguel Conde Llinars, vogal do Conselho da AGAL.

 

Sobre Higino Martins

Higino Martins é um dos maiores especialistas de todo mundo em toponímia e língua celtas, ademais de um dos grandes animadores da língua e da cultura galegas na Argentina. Foi discípulo de Eduardo Blanco Amor no Instituto Argentino de Cultura Galega, onde actualmente exerce como professor de língua e literatura galegas. Foi Secretário Geral do Banco Espanhol del Rio de la Plata e dispom de uma ampla obra de investigaçom e de traduçom de diversas obras literárias.

Com Antonio Santamarina Delgado, é autor de uma Gramática Galega, depois reformada e editada com o título de Quadros de Gramática Galega polos Amigos do Idioma Galego em 1993. No campo céltico, em 1996 acabou um Ensaio de Gramática do Céltico Antigo Comum, inédito, fruto dos cursos lecionados por ele, onde recolhe o que se sabe da gramática céltica, com um vocabulario e a versom ao céltico de textos («O nosso Pai», o «Conto de Viriato», etc.).

Outros labores som os Estudos Célticos e Románicos em Campo Galego, conjunto de artigos apresentados nos congressos da AGAL, e a versom directa da Táin Bó Cúalnge (segundo o Livro de Leinster). Prepara Nomina Gallaeciae-Anmana Kallaikias (Léxico Toponímico da Galiza). Dos cursos de proto-história galega e da pesquisa toponímica surgiu o livro de As Tribos Calaicas.

Preparou ediçons da poesia rosaliana, com o o labor crítico preciso. A de Cantares Galegos já foi publicada por Caixa Ourense em 1986. Depois, perfeccionou-na e incluiu Folhas Novas junto da traducción de En las Orillas del Sar. Traduziu Os Paços da Ulhoa de Emilia Pardo Bazán e O Bosque Animado de Venceslau Fernández Flórez. Estes labores nascem do ensino do galego, ininterrupto desde 1977. Dele tamém surgírom os cursos de proto-história galega, de linguística e filologia célticas, e mesmo, por obra dos alunos, a associaçom civil argentina Amigos do Idioma Galego.

 

+ Notícias relacionadas: