Galizalivre.org entrevista Antom Corbacho

As investigaçons de Corbacho resgatam casos particulares da acçom cultural galega no Brasil

Sexta, 27 Novembro 2009 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

O romance Os Dois foi escrito por Álvaro de las Casas durante a sua estadia brasileira

PGL – O portal web Galizalivre.org entrevistou o professor Antom Corbacho Quintela, autor da tese A aculturação dos galegos do Brasil: o vazio galeguista, na que se mostram novos dados sobre a actividade de destacados independentistas galegos no Brasil, como Pepe Velo ou Álvaro de las Casas.

Na entrevista, Corbacho fala da imagem que o Brasil tem da Galiza, da máfia galega dos anos 50 em Rio de Janeiro e da identidade lingüística dos galegos no Brasil.

Nesta linha, do Galizalivre.org destacam:

Assim como os militantes independentistas da Sociedade Nazonalista Pondal reconheceram que o espanhol da Argentina funcionou como um “pólo opositor” para conscientalizarem-se da sua identidade como galegos, os galegos do Brasil não encontravam este pólo opositor por nenhum lado (a língua era demasiado parecida) mas tampouco eram capazes de integrá-lo sob o conceito de "lusofonia"». «A mim, o que me pareceu mais alucinante é que –indica Corbacho–, na escassa imprensa regionalista/ galeguista do Brasil, das três primeiras décadas do séc. XX, se recorresse ao galego das Irmandades. Esses escassos regionalistas/ galeguistas (galegos-cariocas) não assumiam a lusofonia. Ora, custava-lhes horrores escrever no galego das Irmandades; chegavam a escrever um galego quase ininteligível».

Segundo o autor, no Brasil o colectivo galego mais «intelectual» apenas tivo peso, o que pode ser devido a que os galegos e galegas que chegavam eram na maioria imigrantes, e portanto, apenas mao de obra. O Estado Novo brasileiro nom permitiu a chegada de exilados galegos no pós-guerra espanhol e foram poucos os nom-imigrantes –artistas, escritores, intelectuais– que escolheram o Brasil como destino.

 

+ Ligaçons relacionadas: