Valentim R. Fagim: «A norma Agal nasceu para ser umha ponte entre as falas galegas e a escrita do português»

Valentim R. Fagim: «Os prejuízos nom se superam ministrando matemática em castelhano»

Segunda, 22 Março 2010 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Valentim R. Fagim

PGL – O presidente da Associaçom Galega da Língua, Valentim R. Fagim, foi entrevistado pola periodista Marga Tojo, do diário Galicia-hoxe, para falar sobre língua galega e reintegracionismo lingüístico.

Na entrevista, o presidente da AGAL, fala das possibilidades da língua galega. Perguntado pola normativa da associaçom, Fagim argumenta: «Basicamente, a ortografia do português é a nossa ortografia medieval, e hoje em dia estamos tam sociabilizados na ortografia do castelhano que qualquer outra opçom nos parece inviável. Com quem queremos comunicar? só com nós mesmos ou com resto das variedades? Essa é a grande pergunta. Se só queremos falar com nós mesmos, o galego oficial é perfeito, e usar nh e lh é complicar, porque a gente pode apanhar o galego e colocar-lhe a ortografia do castelhano e pronto, é o mais sensato. Mas se aspiramos a comunicar algo diferente, se aspiramos a falar com quatrocentos milhons de pessoas, como dizia o presidente Feijóo, daquela devemos cambiar algumhas cousas».

Nesta linha, Fagim aproveitou para desmentir o suposto apoio do PP ao reintegracionismo: «É um discurso muito velho e nunca conseguido. Fraga também tem falado de Portugal, mas há que passar da teoria à prática. Nom é umha questom filológica, é política».

Ainda, na entrevista, o professor Fagim fala das relaçons da Galiza com outros países da lusofonia, da aposta de diferentes artistas e intelectuais galegos polo reintegracionismo lingüístico e sobre a rejeiçom da AGAL para com o novo decreto do galego. A entrevista conclui com referências ao movimento normalizador que, em chave de humor, se tem articulado por volta da defesa do reintegracionismo.

 

+ Ligaçons relacionadas: