Maurício Castro: «A igualdade entre o galego e o espanhol só se conseguiria sendo o galego o único idioma oficial»

«A filologia românica e toda a nossa tradiçom anterior, consideram o galego parte da lusofonia»

Segunda, 12 Abril 2010 01:55

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Maurício Castro Lopes

PGL – Maurício Castro foi entrevistado polo jornal Galicia Hoxe, depois de ministrar umha palestra nas I Jornadas de língua da Corunha, organizadas pola Associaçom Galega da Língua.

Na palestra, Maurício Castro falou do caso da imposiçom lingüística no Porto Rico, traçando um paralelismo com a Galiza, e propondo para o nosso País um modelo no qual o idioma próprio seja o único oficial ou a língua de preferência, garantindo os direitos dos falantes doutros idiomas.

Segundo o professor Castro, as estratégias adoptadas até o momento em matéria de política lingüística polas diferentes forças de governo, nom deixárom de pôr de manifesto o seu fracasso, portanto chegou o momento de as mudar, olhando para outros modelos "nom utópicos", mas reais em lugares como o Quebeque ou Flandres.

Nesta linha, Castro fala da incoerência de falar dum "bilingüismo cordial" enquanto as mesmas pessoas apoiárom, nos anos 90, a reivindicaçom do governo do Porto Rico de que o espanhol fosse a única língua oficial, sem renunciarem à aprendizagem do inglês nas escolas.

Ainda, na entrevista, Maurício Castro fala dos processos de standarizaçom das línguas, conceitos como monolingüismo e bilingüismo ou a grande falácia sobre a imposiçom do galego defendida por Galicia Bilingüe.

 

+ Ligaçons relacionadas: