Ampla entrevista no Diário Liberdade com o escritor Carlos Quiroga

A causa reintegracionista, os movimentos em defesa de um ensino popular, a situaçom sociolingüística galega ou a «Galiza dos seus sonhos» som algumhas outras das questões sobre as quais se pronuncia

Terça, 12 Julho 2011 08:46

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - O Diário Liberdade publica hoje umha alargada entrevista com o escritor Carlos Quiroga, professor de língua e literaturas lusófonas na Universidade de Santiago de Compostela. Nesta extensa conversa, Quiroga debruça-se sobre diversas questons além da sua trajetória literária.

Como explicam no DL, Carlos Quiroga é «um literato em contra-mão». Se a começos dos anos 80 a maioria dos escritores e escritoras galegas mostravam a sua rebeldia frente à imposição da grafia castelhana, «hoje som poucos os que continuam a resistir a ordem estabelecida à base de talonário».

Por este motivo, atitudes como a de Quiroga, a de pretender ser escritor na Galiza sem renunciar à grafia histórica do galego «implica nom ser reconhecido nem promovido pela mídia ordeira. Implica renunciar a concorrer a quase a totalidade de prémios literários do País que impõem como requisito utilizar a grafia espanhola para o português da Galiza».

Apesar dos entraves, Carlos Quiroga é o primeiro escritor galego cuja obra tem sido distribuída em massa em Portugal, pois o seu romance Inxalá foi incluído no verão passado dentro da coleçom de clássicos universais das publicações Diário de Notícias e Jornal de Notícias —como noticiado no PGL naquela altura—, o que permitiu chegar a perto de 100.000 leitores portugueses.

Humilde e sincero, caraterísticas que definem à perfeiçom este escritor da Terra de Lemos, Quiroga responde que seguramente houvo «algo de casualidade por trás» desse facto, embora a trajetória do autor nom dê para pensar nisso —baste lembrar a publicaçom no Brasil de Periferias, por exemplo—.

A causa reintegracionista, os movimentos em defesa de um ensino popular, a situaçom sociolingüística galega ou a «Galiza dos seus sonhos» som algumhas outras das questões sobre as quais se pronuncia.


+ Ligações relacionadas:

A causa reintegracionista, os movimentos em defesa de um ensino popular, a situaçom sociolingüística galega ou a «Galiza dos seus sonhos» som algumhas outras das questões sobre as quais se pronuncia