Verim celebra de 15 a 20 de Setembro a Semana Cultural 'Xesús Taboada Chivite'

O evento servirá para realizar umha aproximaçom à figura do intelectual verinense

Sábado, 13 Setembro 2008 00:42

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - Desde a segunda-feira 15 de Setembro até o sábado 20, a Casa da Cultura de Verim será o cenário principal da Semana Cultural 'Xesús Taboada Chivite', que fecha os actos comemorativos do centenário do nascimento do intelectual verinense.

Toda a programaçom será às 20h15, com a excepçom da entrega do prémio 'Xesús Taboada Chivite', que este ano ganhou a antropóloga portuguesa Paula Godinho, que será o sábado às 12h.

Dia 15

O primeiro dos actos da semana dedicada a Taboada Chivite é o dia 15 às 20h15. Trata-se a apresentaçom da reediçom d'O culto das pedras no noroeste peninsular, que recolhe o discurso de ingresso do verinense na Real Academia Galega em 1965.

Dia 16

Terça-feira às 20h15, Adolfo Taboada, sobrinho e afilhado de Xesús Taboada, dissertará sobre O Verín das pedras nobres e sobre a faceta humana do intelectual a partir da condiçom de familiar.

Dia 17

A actriz verinense Raquel Queizás apresenta o dia 17 às 20h15 umha dramatizaçom d'O monxe infame e de outras lendas da comarca que Taboada Chivite recolhera a partir de fontes orais.

Dia 18

Já na quinta-feira, antigos alunos da Academia Verinense reunirám-se numha tertúlia para recuperar a memória deste centro, dirigido no seu dia por Xesús Taboada, e para falar da formaçom académica dos bacharéis da comarca nas décadas de cinqüenta, sessenta e começos de setenta.

Dia 19

Xerardo Dasairas, ex-aluno da Academia Verinense, apresentará a sexta-feira, dia 19, a partir das 20h15, a fita In Memoriam Xesús Taboada Chivite.

Dia 20

Esta semana cultural encerrará o sábado dia 20 às 12h com a entrega do Prémio Xesús Taboada Chivite, que este ano ganhou a antropóloga portuguesa Paula Godinho por um trabalho sobre os municípios da Raia Seca, Ouvir o galo cantar duas vezes. Identificações locais, culturas de orla e construção de nações na fronteira entre Portugal e a Galiza.

 

+ Mais informaçom: