Mais de 350 investigadores reúnem na Universidade do Algarve no X Congresso da Associação Internacional de Lusitanistas

Galiza é o terceiro país em número de investigadores presentes

Sexta, 15 Julho 2011 07:04

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - Mais de 350 investigadores, procedentes de 117 universidades e centros de investigação da Europa, América e África vão reunir-se na Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve (Faro) entre os dias 18 a 23 de julho para participar no X Congresso da Associação Internacional de Lusitanistas (AIL).

AIL é a associação mais importante da Lusofonia na área das Ciências Humanas. Neste X Congresso serão apresentadas um total de 325 comunicações, quase 90% do total de textos submetidos à avaliação prévia, analisados pola Comissão Científica durante quatro meses de trabalhos.

O Congresso da AIL constitui um bom medidor da atividade na área das Ciências Humanas referidas à Lusofonia no mundo. De celebração tri-anual, chega à Universidade do Algarve depois de se ter celebrado nas Universidades de Poitiers, Leeds, Coimbra, Hamburgo, Oxford, Rio de Janeiro, Brown (Providence), Santiago de Compostela e a Madeira.

Os investigadores tiveram acesso a todos os textos integrais previamente através da rede à sua apresentação nas sessões do Congresso para facilitar o debate, para que se reserva metade de cada sessão. Nela, podem confirmar o seu texto ou reelaborá-lo em função do debate havido, até 15 de setembro como prazo final para o seu envio definitivo.

Os textos constituirão definitivamente capítulos de livros, agrupados tematicamente, cuja edição está prevista já para o último trimestre do ano 2011, no que será a publicação mais importante por número e atualidade de toda a área das Ciências Humanas lusófonas no mundo.

A Comissão Organizadora, presidida polo Presidente da AIL, o galego Elias J. Torres Feijó (Universidade de Santiago de Compostela), e a Comissão Executiva, dirigida por Petar Petrov, fazem um balanço extremamente positivo de todo este processo e têm “as melhores expetativas” para as atividades a decorrer na Universidade do Algarve.

O X Congresso da AIL não quis deixar de homenagear o Prémio Nóbel de Literatura em língua portuguesa José Saramago. 15 foram as comunicações aprovadas para a sua apresentação no evento que estudam diferentes aspetos da obra do escritor de Azinhaga, que terá uma seção específica durante todos os dias do Congresso, além da sua presença também na seção de “literatura Comparada”, uma das que inclui maior número de comunicações.

Aumenta a presença dos estudos galegos

Os estudos de Literatura portuguesa, literatura brasileira e literaturas africanas de língua portuguesa, que cresce notavelmente, continuam centrando a atenção dos lusitanistas, em que salientam, em quantidade, os trabalhos sobre Fernando Pessoa, Machado de Assis e Eça de Queirós. O leque de assuntos e escritores abordados é muito vasto, com destaque também para Lobo Antunes, Gabriela Llansol, Abel Botelho, Guimarães Rosa, Nélida Piñon, Graciliano Ramos, ou José Agualusa; salienta, igualmente, a atenção dedicada à leitura de clássicos portugueses e aumenta também a presença dos estudos galegos.

Do mesmo modo, a poesia contemporânea em língua portuguesa ocupa uma parte relevante do X Congresso. E, em geral, as questões de género e literatura é um dos vetores mais atendidos. A seu lado, as vinculações entre literatura e guerra colonial, e a atenção à literatura infanto-juvenil e à tradição oral têm também presença no Congresso.

Talvez motivado por certo sentimento e necessidade de mudança, é oportuno o interesse dos lusitanistas por assuntos relacionados com a metodologia e o estatuto dos estudos literários, como o elevado número de comunicações sobre estes temas manifesta.

Dentro doutras artes, o teatro concentra a maior parte das comunicações, mas há sessões específicas dedicadas ao cinema, à música, à comunicação social e às relações entre arte e sociedade. É muito importante o número de investigações destiandas a aprofundar sobre as relações culturais e políticas e à literatura e cultura comparadas.

Na Área da linguística são muitos os trabalhos sobre fonética e fonologia e gramática, com presença também da lexicografia e a historiografia linguística, tanto do ponto de vista sincrónico como diacrónico; particular destaque merece a quantidade de estudos de sócio-linguística e o crescimento de trabalhos centrados na internet e as novas tecnologias.

Mesa redonda

O X Congresso da AIL inclui reflexões sobre a atividade dos escritores em língua portuguesa e sobre o estado do relacionamento cultural entre os países que conformam a CLPLP. Assim, terá lugar uma mesa redonda com os seguintes escritores: Ana Paula Tavares (Angola) (Brasil), Germano Almeida (Cabo Verde), Lídia Jorge e Nuno Júdice (Portugal) e Márcio Souza (Brasil), moderada polo professor e escritor da Galiza Carlos Quiroga. E, subordinada ao tema “Relações Literárias e Culturais Luso-Afro-Brasileiras” outra Mesa redonda contará com a participação dos seguintes investigadores: Benjamin Abdala Jr. e Gilberto Mendonça Teles (Brasil), Francisco Noa (Moçambique), Fernando Cristóvão e Arnaldo Saraiva (Portugal), moderados polo Prof. Onésimo Teotónio Almeida (Universidade de Brown)

Estão programados também lançamentos de livros e apresentações de diferentes projetos.