Lançamentos de 'Letras de Amor e Guerra', de Ramiro Vidal Alvarinho

A recuperaçom da topia e a procura da liberdade para vencer o terror e a opressom som umha constante em todos os poemas do livro

Segunda, 05 Novembro 2012 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - Nos dias 8 e 10 de novembro (quinta-feira e sábado) decorrerám em Ponte Vedra, Compostela e Vigo atos de lançamento de Letras de Amor e Guerra, primeira obra em solitário de Ramiro Vidal Alvarinho, um autor que, por sinal, leva anos a participar em ediçons coletivos de diferente tipo.

A dia 8, às 21h15, terá lugar a aprsentaçom do livro na livraria Paz, sediada no n.º 29 da Rua da Peregrina. No ato intervirám o próprio autor e Miguel Ángel Alonso Diz, este em representaçom do coletivo A Porta Verde do Sétimo Andar, ao qual pertence também Vidal Alvarinho.

Já a dia 10, sábado, o autor estará a cavalo de Compostela e Vigo. Na capital do País, às 12h30, estará na livraria Couceiro (praça de Cervantes). Na cidade olívica, às 20h30, no Centro Social A Cova dos Ratos, da associaçom cultural Kaleidoscópio (Rua Romil n.º 3).

Como indicado anteriormente, Letras de Amor e Guerra é a primeira ediçom em solitário a papel de Ramiro Vidal Alvarinho (Ferrol, 1973), quem leva anos participando em ediçons coletivas, revistas, fanzines, webs literárias e outros projetos. Está vinculado desde 2010 ao coletivo A Porta Verde do Sétimo Andar. Precisamente, a obra sai sob chancela de Q de Vian Cadernos, o projeto editorial da Porta Verde do Sétimo Andar.

O poemário consta de três partes; “Ópera caníval”, “Evocaçom da luita” e “Cançom corsária para um albatros”. A recuperaçom da topia e a procura da liberdade para vencer o terror e a opressom som umha constante em todos os poemas do livro.