"A crise sociolinguística da Galiza à luz de Bourdieu" na Universidade de Coimbra

Celso Álvarez Cáccamo ministrará seminário no Núcleo de Estudos sobre Humanidades, Migrações e Estudos para a Paz (NHUMEP) no Centro de Estudos Sociais, Laboratório Associado da Universidade de Coimbra

Segunda, 22 Abril 2013 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Celso Álvarez Cáccamo

PGL - O sociolinguista e académico da AGLP Celso Alvarez Cáccamo (Universidade da Corunha) ministrará em Coimbra um seminário subordinado ao título "A crise sociolinguística da Galiza à luz de Bourdieu". O evento é organizado no âmbito do Núcleo de Estudos sobre Humanidades, Migrações e Estudos para a Paz (NHUMEP) e terá lugar nesta terça-feira, dia 23 de abril, às 14h00 na sala 2 do CES-Coimbra.

Resumo

Inserido na promoção de redes de intercâmbio entre investigadores nos estudos sociolinguísticos e antropológicos do discurso, do multilinguismo e da política de línguas,  nomeadamente da organização de uma Associação Ibérica e Internacional sobre Estudos do Discurso (EdiSO), Celso Alvarez-Cáccamo propõe-se a apresentar uma panorâmica das políticas da língua na Galiza e da situação sociolinguística atual, com a crescente perda do uso do galego (a forma do português da Galiza) como idioma próprio, à luz do modelo de mercado e capitais inspirado por Pierre Bourdieu. Esta apresentação entra em comparação com a pesquisa desenvolvida no CES no âmbito do multilinguismo e das políticas de língua em contextos que envolvem o português em equação com outras línguas em múltiplos espaços e escalas, seja em contextos migratórios ou outros.

Nota biográfica

Celso Alvarez Cáccamo (Vigo, Galiza, 1958) é professor titular da área de Linguística da Faculdade de Filologia da Universidade da Corunha, com interesse na sociolinguística, na análise do discurso e da conversa, e nas relações entre língua(s), poder, mercados, instituições e ideologias.