Esta tarde começa o XXVII Festival da Poesia no Condado, que reivindica a ‘Desobediência’

Desenvolve-se hoje e manhá no recinto das muralhas de Salvaterra de Minho

Sexta, 30 Agosto 2013 09:13

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

SCD Condado - Filmes, pintura, artesanato, collage, música e poemas volvem chegar de mãos dadas a Salvaterra de Minho na XXVII ediçom do Festival da Poesia no Condado, centrada no lema ‘Desobediência’. “Para que nom quitem às pessoas para dar aos bancos, para que a cultura popular e participativa continue viva”; com esses objetivos a Sociedade Cultural e Desportiva (SCD) do Condado, organizadora do evento, reflexionará sobre a Desobediência nas jornadas de hoje e de amanhá.

As atividades começam esta tarde com a projeçom do documentário Fóra, com a presença dos seus realizadores, Pablo Cayuela e Xan Gómez Viñas. A continuaçom inaugurarám-se as exposiçons e, desde as 22:30, Mónica de Nut & Virxilio da Silva protagonizam a Noite nas Minas. Música barroca na única atividade de pagamento do festival, para a que ainda se podem reservar entradas, a dez euros, escrevendo a info [ @ ] scdcondado.org ou chamando ao 646 959 587.

Ao remate, a Magnifique Band dos Homes sem Medo fará com que continue a festa ao ar livre, mentres se serve um caldo verde para todas as pessoas assistentes à Noite nas Minas.

Amanhá será a jornada principal do encontro, com atividades desde a manhá. As exposiçons estarám abertas, haverá ruada, um aberto de bilharda, feira de artesanato e coletivos, e umha mesa redonda sobre ‘O povo em movimento’, arredor da ideia de ‘Desobediência’ frente às imposiçons do sistema inumano e da sua crise.

Na tarde, María da Pontragha vai ser a encarregada de conduzir a Festa Infantil, desde as 17:00, e projectará-se umha seleçom de curtas participantes no Festival de Cans (às 19:00). Desde as 20:00, Estaleiro Editora celebra umha festinha polo seu V Aniversário, e às 21:00 será a hora do festival poético e musical.

O recital estará protagonizado polas poetas Aurora Ceibe, Elvira Ribeiro, Celso F. Sanmartín, Nolim Gonzalez, Dores Tembras, Alfonso Pexegueiro, Séchu Sende, Maria Rosendo, Mário Regueira, e polo brasileiro Márcio-André. Os seus textos, junto com os de Chus Pato (que nom poderá estar no recital) som os protagonistas da antologia poética que edita a SCD Condado e que se poderá adquirir no festival.

Apresentados polo coletivo do Gran Compadre, os grupos que vam protagonizar a noite de amanhá som a Banda Hospitaleira do Miño (o regresso do trio composto por Rómulo Sanjurjo, Uxía e Víctor Coyote), a Magnifique Band dos Homes sen Medo (treboada de ventos), Malandrómeda (as verbas incendiárias do Hevi junto com os ritmos acelerados de Caldeirada) e Sacha na Horta (para um fim de festa sem parar de dançar). A festa nom vai acabar aí, pois o festival finda com a música Djing Hevi vs. Caldeirada.

O programa completo, e algumha informaçom complementar, está na página web da SCD Condado: www.scdcondado.org.