Homenagem a Luísa Villalta e Diaz Castro: Recital de poesia e música

Intervenção musical estará a cargo do duo formado por Miro Tourís e Paloma García (sanfona e guitarra) e o recitado será d@s membros da Equipa de Dinamização da Língua Galega

Quinta, 13 Março 2014 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Luísa Villata (1957-2004)

Isabel Rei Samartim - A Equipa de Dinamização da Língua Galega (EDLG) do Conservatório Profissional de Compostela organiza um recital de poesia e música em homenagem à poeta e música galega Luísa Villalta e José Maria Diaz Castro. O ato terá lugar às 19h da sexta-feira, dia 14 de março, no auditório do centro.

Quando se cumprem os dez anos da prematura morte da violinista e poeta Luísa Villalta Gomez (1957-2004), o conservatório homenageia à que tem sido uma das nossas melhores poetas. Membro da Jovem Orquestra de Galiza, Luísa começava a publicar teatro em 1989, Concerto para um homem só. Seguidamente se sucederam mais de vinte obras dos diferentes géneros: teatro, poesia, ensaio, narrativa, sem contar as obras coletivas em que participou.

Como acontecera aos Amado Carvalho e Manoel António de começo de século, ou à própria Rosália, Luísa morreu prematuramente antes de ter podido desenvolver completamente o seu talento literário-musical. Contudo, as obras que deixou dão para ver a sua capacidade criadora ademais do seu compromisso com a cultura e o país galego. Como em Rosália, em não poucos títulos Luísa apresenta a música e o seu senso auditivo: Concerto para um homem só (1989), Silêncio, ensaiamos (1991), Música reservada (1991), Ruído (1995), O outro lado da música, a poesia (1999), As chaves do tempo (2001), A língua dos sons (2003), A música e nós (2003), a sua versão do Hamlet de Cunqueiro ou o texto publicado digitalmente em 2002, Desperta do teu sono, que começa assim:

 

Cada manhã, os antepassados marcham descalços para não despertar-nos, como um último gesto de amor.

http://www.aelg.org/Centrodoc/GetPageById.do?id=obra540&format=0&orde=1

 

A intervenção musical estará a cargo do duo formado por Miro Tourís e Paloma García (sanfona e guitarra) e o recitado será d@s membros da Equipa de Dinamização da Língua Galega do centro e outras colaborações:

  • Antía Cores Torres
  • Víctor Bouzas Torrado
  • Antom Labranha Barreiro
  • Isabel Rei Samartim
  • Paloma García García


Entre @s poetas recitad@s figuram dous membros da comunidade educativa que ofereceram textos expressamente para este evento:

  • Luísa Villalta
  • José Maria Diaz Castro
  • Luís G. Amado Carvalho
  • Ricardo Carvalho Caeiro
  • Antom Labranha
  • David Durán Arufe

 

Luísa Villalta: Música reservada (1991)

E o meio do caminho será um verso

como todos os caminhos que começam

e prosseguem. Porque um verso

não é mais que o que se quebra

e continua,

que se escapa

e fica e segue

e articula o ritmo escuro do sentido

e anda só, e para, e anoitece

despenhando-se na luz para a seguinte

página e infinitas a seguir, ritmo em herança,

livro a livro, como um século a outro século.

 

Paloma García é professora superior de Guitarra pelo Conservatório da Crunha. Iniciou-se no estudo da sanfona com Oscar Fernández na Escola de sanfona do Padroado de Cultura de Narom e, mais tarde, na Central Folque, ampliando seus estudos com Germán Díaz na Escola Municipal de Música de Compostela. Da man da Central Folque fez parte da Atlântica Vapora Orquestra, participando também na gravação do disco deste grupo “Porto Vilaxoán” e, como aluna desse centro, colaborou no disco “Tentemozo” de Os Cempés. Assistiu a obradoiros de sanfona em Galiza e na França com músicos como Anxo Pintos, Valentin Clastrier, Germán Díaz, Gregory Jolivet, Adriá Grandía, Isabel Pignol, Patrick Bouffard e Matthias Loibner.

 

Miro Tourís é professor superior de Guitarra pelo Conservatório da Crunha. Ademais da formação académica estudou harmonia moderna e tem feito incursões noutros estilos musicais como a música tradicional, o jazz, etc.

Foi membro do grupo folk Leixaprén, ganhador de diversos prémios a nível galego e estatal e com o que participou na gravação dos discos “Na festa do boi” e “Gáitropos”; bem como em actuações em Galiza, Espanha, França ou Itália.

Fazendo parte do duo Miro Tourís-Paloma García realiza concertos em distintos lugares da Galiza e concertos didáticos em centros de ensino secundário na Arousa.

 

+ Mais info: