CRTVG iniciará oposições em que um uso correto do galego nom será decisivo

A antigüidade será o factor com mais peso, e um mau uso do galego apenas será eliminatório para quem tiverem umha nota inferior aos 40% da prova oral

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - A terça-feira, dia 6 de setembro, a Companhia de Rádio/Televisom da Galiza (CRTVG) iniciará um processo seletivo de consolidaçom de emprego. Mais de 2.200 pessoas optarám a apenas 193 postos.

No entanto, segundo informa o diário La Voz de Galicia, o correto uso do galego nom será um dos principais critérios. Assim, a prova de galego oral apenas representará 15 pontos dos 120 possíveis, e a de locuçom 30. O mau uso da língua apenas será eliminatória para quem a nota final for inferior aos 40%, dos 15 pontos referidos, isto é, menos de seis pontos.

Quem passarem esta peneira inicial ainda terám de se enfrentar a umha prova teórica, que também contará com elementos lingüísticos. No entanto, essas perguntas já levam meses em posse dos opositores, quem com um simples exercício de memorística poderiam passá-la sem que isso avalizasse realmente conhecimentos e domínio do nosso idioma.

PP e PSOE rejeitárom defesa do galego na CRTVG

Em começos do verão o PGL noticiou a aliança entre PSOE e PP para rejeitarem uma proposta do BNG que visava a «efetiva galeguizaçom» da Companhia de Rádio/Televisom da Galiza. Os argumentos de PP e PSOE acusavam a iniciativa do Bloco de procurar «o monolingüismo nas emissões destes meios públicos», quando precisamente o atual quadro legal da CRTVG o consolida como meio monolingüe em galego.

Na proposta que acabou por ser chumbada o BNG reclamava diferentes melhoras nom apenas do ponto de vista do uso quantitativo do galego, mas também do qualitativo e até do relacionamento particular com a Lusofonia, para evitar casos como o da pronúncia do topónimo brasileiro ‘Rio de Janeiro’ à espanhola, marcando um fonema inexistente no sistema galego-português.

No relativo à qualidade lingüística, pediu-se a «pulcritude fonética» e a «eliminaçom de híbridos castelhanistas» como parte dos critérios de seleçom para apresentar espaços na televisom ou na rádio públicas.

Sobre os critérios informativos cabe destacar, ligando com o anterior, incrementar a presença das comarcas estremeiras na programaçom da CRTVG e dar um tratamento preferencial às notícias procedentes dos países de língua oficial portuguesa, especialmente Portugal e o Brasil, bem como acabar com a recente prática da legendagem ou inclusom de voz em off das declarações realizadas por cidadãos lusófonos.

 

NOTA DA REDAÇOM:

Por observaçom de um leitor fôrom corrigidos dous dados no segundo parágrafo desta informaçom, que faziam referência ao peso das provas de locuçom e galego oral. Mais informações a respeito aqui.

 

+ Ligações relacionadas: