PP distorce figura do poeta Celso Emílio Ferreiro

Toda a época de Fraga foi umha grande tarefa de saqueio sistemático dos vultos do galeguismo para fazê-los passar por precursores da política fraguista

Segunda, 17 Outubro 2011 08:14

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Galizalivre.org - O Parlamento galego decidiu por unanimidade aprovar umha petiçom à Junta para declarar o 2012 ano de Celso Emílio Ferreiro, coincidindo com o centenário do mais conhecido poeta social da Galiza.

 

Mas nem tudo foi consenso. A proposta do PP, defendida polo deputado vilalvês Agustín Baamonde, visava mostrar a Celso Emílio como um "defensor da liberdade de uso" entre "o galego e o castelhano". Semelhante manipulaçom provocou a reaçom dos deputados e deputadas da oposiçom. Concepción Burgo do PSOE sinalou que Celso Emílio "nom é um representante do bilinguismo harmónico", e por parte do BNG recordou-se ao de Cela Nova como militante comprometido com a causa galega, co-fundador da UPG e candidato a Senador polo PSG.

Apropriaçom de nacionalistas por parte do PP

Nom é este o primeiro caso de pirataria nacional por parte do Partido Popular. Toda a época de Fraga foi umha grande tarefa de saqueio sistemático dos vultos do galeguismo para fazê-los passar por precursores da política fraguista. Operaçom realizada com a ajuda dum pinheirismo que apagava sistematicamente o lado político dos mais ilustres galeguistas, chegando a produzir um Castelao artista que nada tinha de nacionalista. Umha destas manobras mais escandalosas foi a realizada com Blanco Amor, com obra censurada polo próprio Fraga, e depois premiado; ou a entrega das Medalhas Castelao a numerosos representantes do espanholismo mais ranço.