Longametragem de animaçom em euskera “Gartxot” chegará aos cinemas da Galiza o 23 de março com legendas em galego

Trata-se dum emotivo filme baseado numha lenda medieval do Pirineu protagonizada por um bardo ou cantor popular enfrentado à Igreja

Quarta, 14 Março 2012 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - A longametragem de animaçom em euskera Gartxot, konkista aitzineko konkista (Gartxot, a conquista antes da conquista), dirigido por Juanjo Elordi e Asisko Urmeneta e produzido por Somuga, chegará aos cinemas de Santiago de Compostela o próximo 23 de março.

O filme -que conta com música de Benito Lertxundi e as vozes de conhecidos cantores da zona do Pirineu baixonavarro e suletino-, implica todo um reto, pois trata-se dumha fita de animaçom para adultos, que se projecta únicamente em euskera. Na Galiza, o filme passará-se no cinema Compostela de Santiago, com legendas en galego conforme o padrom da Associaçom Galega da Língua (AGAL), organizaçom responsável pela traduçom. Estreada no País Basco o passado 18 de novembro, 'Gartxot' recebeu excelentes críticas e umha boa acolhida por parte do público.

Fruto de quatro anos de trabalho, Gartxot é umha mestura de tragédia romántica e filme de aventuras, filmada com uns desenhos innovadores com ar cubista, umhas paisagens que evocam o romantismo e um guióm que busca a emoçom. Está baseada numha narraçom que o escritor Arturo Campión publicou em 1917 apoiando-se numha antiga lenda do Val de Salazar, Nafarroa, sobre os bardos, cantores populares que preservavam a memória e a cultura do seu povo. Nesta história, o Abade de Roncesvales desterra o bardo Gartxot e rapta o seu filho Mikelot para que cante em latim ao serviço da Igreja. Mikelot consegue fugir do convento e é perseguido polos temíveis monjes guerreiros. A partir daí desencadea-se a tragédia.

 

 

A história de Gartxot tornou-se com o tempo num símbolo que proclama a liberdade para criar em euskera. Assi o interpretarom os diferentes coletivos que derom vida a esta lenda umha e outra vez desde a sua publicaçom: como peça teatral, foi estreada en Buenos Aires em 1948 e, em Pamplona na década de 80 montou-se outra versom; o cantores Benito Lertxundi compujo um álbum mítico em 1981 e o próprio Asisko Urmeneta criou umha banda desenhada de título homónimo que foi galardoado em 2003 com o prémio Mediterráneo no Salóm Internacional de Banda Desenhada de Ajaccio (Córsega).

O projecto cinematográfico conta com a implicaçom do cantores Benito Lertxundi quem, além de ser o compositor das cançons do filme, pujo voz a um dos personages, junto à cantores Olatz Zugasti. A maioria dos atores que pugerom as vozes tenhem experiéncia nas Pastories suletinas e alguns deles som músicos de sona no campo da música tradicional.

Gartxot é a quinta longametragem de animaçom de Juanjo Elordi (Markina, Bizkaia, 1970), após Olentzero (2002), Los balunis (2004), Olentzero y el tronco mágico (2005) e La vuelta al mundo ¡gratis! (2009), este último co-dirigido com Asisko Urmeneta (Pamplona, 1965). Urmeneta é um artista multifacético, conhecido como autor de banda desenhada, desenhador da firma Kukuxumusu e ilustrador, que em 2009 publicou a BD Gartxot, ponto de partida deste projecto cinematográfico.

Esta longametragem, que tivo o seu precedente numha curta do mesmo título que o ano passado foi nomeado ao Goya de animaçom, contou com a participaçom da Consejería de Cultura do Governo Basco, o Governo de Nafarroa e EITB, entre outras organizações.

O cinema Compostela acolherá o día 21 umha conferência de imprensa (com prévio passe cinematográfico), que contará com a presença dum dos seus diretores, Asisko Urmeneta.