AGOn pede respeito ao Concelho de Compostela na defesa do nosso acervo cultural

Especialistas em nomes geográficos da ONU recomendam evitar o uso de topónimos comemorativos de pessoas

Segunda, 26 Março 2012 07:39

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - A Asociación Galega de Onomástica (AGOn) endereçou umha carta ao presidente da Cámara Municipal de Compostela convidando-o à utilizaçom de topónimos tradicionais na denominaçom das novas ruas que ainda estám pendentes de atribuiçom de nome.

AGOn, associaçom criada em setembro de 1999, que tem como fim promover os estudos dedicados à conservaçom, divulgaçom e investigaçom da onomástica, solicita ao Concelho compostelano que seja um exemplo de respeito e defensa do Património perante todos os Concelhos do País.

Esta iniciativa responde a sua vez à proposta do governo municipal de atribuir nomes de personalidades civis e religiosas a estas ruas.

Segundo AGOn, nom se deve compreender o progresso como a destruiçom do nosso acervo natural e cultural que nos legárom os nossos devanceiros, mas como parte integrante da memória e património histórica dum país. Ainda, a associaçom coincide com o grupo de especialistas em nomes geográficos da ONU, que recomenda evitar o uso de topónimos comemorativos enquanto existam nomes autóctones vivos para um lugar.

Galiza possui um património histórico quase único no mundo, no Concelho de Compostela, através do Projeto Toponímia de Galiza (Junta da Galiza) recolhêrom-se perto de 10.000 formas que bem podem ser habilitadas para batizar as novas ruas que os sepultam.