Segunda absolviçom a Carlos Callón polas denúncias do juiz Fraga Mandián

Sexta, 07 Junho 2013 08:09

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Carlos Callón | Foto: Paco Vilabarros

PGL - O presidente da Mesa, Carlos Callón, foi novamente absolvido na repetiçom do juízo por instar o ex-juiz decano da Corunha, Antonio Fraga Mandián, a utilizar o topónimo oficial da cidade. Desde o ano 2008, Fraga Mandián sostinha que Callón o injuriou e exigia milhares de euros de indenizaçom.

O ativista já fora absolvido em janeiro, mas o ex-juiz decano da Corunha logrou a repetiçom do juízo, já em maio, numha «insólita» decisom, segundo o próprio Callón. Num comunicado, a Mesa assegura que esta segunda sentença é um «corretivo muito duro» para o denunciante nun «kafkiano processo de cinco ano, por dizer publicamente que também os juízes tenhem que cumprir a Lei».

Ainda, da organizaçom asseguram que «com quem haverá que tomar medidas é com quem se jacta de nom cumprir as leis que nom som do seu agrado». Esta última afirmaçom tem a ver com que alegadamente Mandián teria afirmado carecer de «rubor» na hora de utilizar o topónimo La Coruña. Precisamente, a sentença indica que a crítica realizada por Carlos Callón é umha resposta às manifestaçons de Antonio Fraga Mandián, «que fazem alusom à comissom de ilegalidades», recolhe a página quatro da resoluçom judicial.

 

+ Ligações relacionadas: