Publicadas "emendas" ao texto da ILP Valentim Paz-Andrade

Promotores da ILP criaram 3 comissões de trabalho (ensino, comunicação social e institucional) para levar propostas a todos os grupos parlamentares

Terça, 02 Julho 2013 09:29

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - O Boletim Oficial do Parlamento da Galiza acaba de publicar as propostas de mudança do texto da ILP Valentim Paz-Andrade apresentadas pelo PP, pelo PSOE e pela AGE. O BNG, ao não apresentar correções, entende-se que deseja manter o texto original. As propostas estão disponíveis aqui (páginas 84 a 90).

Os trabalhos da Comissão 4ª, que se encarrega desta proposta de lei, só começarão nos primeiros dias de setembro. Os promotores da ILP criaram 3 comissões de trabalho (ensino, comunicação social e institucional) para levar propostas a todos os grupos parlamentares, no início do novo período parlamentar.

Quem quiser colaborar em qualquer destas comissões é só contatar com os promotores da ILP através da sua página no Facebook.

 

O qué a ILP Valentim Paz Andrade?

A iniciativa procura uma série de medidas que facilitem o acesso dos galegos ao universo de língua portuguesa e um maior relacionamento com a Lusofonia.

Entre as propostas do articulado aparecem a progressiva incorporação do português no ensino, o fomento da participação das instituições e empresas galegas nos foros económicos, culturais e desportivos lusófonos, a receção aberta das televisões e rádios portuguesas e o reconhecimento desta competência linguística para o acesso à função pública.

Os promotores explicam na exposição de motivos da proposta que «a nossa língua outorga uma valiosa vantagem competitiva à cidadania galega em todas as vertentes, nomeadamente a económica, desde que disponhamos dos elementos formativos e comunicativos para nos desenvolver com naturalidade no seu modelo internacional». Alcançado o objetivo de superar a 15.000 assinaturas requeridas, a Comissão Promotora destaca a sensibilidade das galegas e dos galegos para a proximidade ou unidade —em função da perspetiva— da língua falada na Galiza e as restantes falas lusófonas, permitindo a consecução dos apoios necessários.

Apresentada no Parlamento em 16 de maio de 2012, a proposta une-se ao espírito da comemoração de Valentim Paz-Andrade, que, para além ser um dos principais impulsores da moderna indústria pesqueira galega, foi também vice-presidente da Comissão Galega do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, que possibilitou a participação da Galiza nas reuniões para o acordo ortográfico da língua portuguesa que decorreram no Rio de Janeiro (1986) e Lisboa (1990). A presença galega nesse acordo ficou registada no tratado internacional resultante, com uma menção à delegação de observadores da Galiza no primeiro parágrafo e a inclusão das palavras «brêtema» e «lôstrego» na descrição das normas acordadas.

 

+ Info adicional:

 

+ Notícias relacionadas: