A difusão do português entrou num "novo patamar"

Quinta, 26 Setembro 2013 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - A difusão do português passou de ser um objetivo centrado unicamente na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) para conquistar novos espaços nos organismos internacionais. Com este fim, foi convocada para os dias 29 e 30 de Outubro a 2ª Conferência Internacional sobre o Futuro da Língua Portuguesa no Sistema Mundial.

A Conferência juntará em Lisboa dezenas de académicos e especialistas da língua portuguesa da CPLP, o Instituto Camões e um conjunto de universidades portuguesas. A seguir, um conselho de ministros dos Negócios Estrangeiros da CPLP adotará um Plano de Ação para a difusão da língua à semelhança do Plano de Ação de Brasília de 2010.

O português é já a terceira língua nas redes sociais e nos negócios de gás e petróleo e a quinta mais falada na Internet. Também é utilizado em organismos internacionais como a ONU, a União Africana, a União Europeia, a comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) ou a Comunidade  Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

A Conferência de  Lisboa tem como objetivo principal a internacionalização do português, convertê-lo em língua de trabalho dos organismos internacionais (o que tornaria em imperativa a tradução em simultâneo das intervenções) e colocá-lo como língua científica ao lado do inglês.   “O esforço de promoção da língua portuguesa entrou num novo patamar depois dos esforços de promoção interna”, sintetiza Ana Paula Laborinho, que preside a comissão organizadora da conferência.


+ Ligação relacionada: