Dicionários portugueses em linha actualizam palavras "casamento" e "matrimónio"

Os dois dicionários já definem casamento como um contrato «entre duas pessoas», sem distinguir o género

Segunda, 11 Janeiro 2010 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL Portugal – As edições em linha dos dicionários da língua portuguesa da Porto Editora e da Priberam acabam de actualizaram os sinónimos da maioria dos vocábulos relacionados com casamento, antecipando-se à aprovação feita pela Assembleia da República do casamento homossexual.

Os dois dicionários já definem casamento como um contrato «entre duas pessoas», sem distinguir o género. Porém, responsáveis da Porto Editora referiram que a entrada "casal" não será alterada, apesar de, nas duas primeiras acepções, definir o termo como «conjunto de macho e fêmea» e «conjunto de duas pessoas de sexo diferente», já não há alusão ao género na terceira acepção dada ao vocábulo "casal": «conjunto de duas pessoas casadas ou que mantêm uma relação amorosa ou íntima».

O termo "casamento" surgia no Dicionário Editora como «contrato celebrado entre duas pessoas de sexo diferente», mas a referência «de sexo diferente» foi retirada já em 2002.

Na mesma linha do anterior, o dicionário Priberam não distingue o sexo nos sinónimos dados às palavras "casamento" e "matrimónio", mas mantém as mesmas três acepções da Porto Editora no conceito de "casal".