Associaçom Cultural Filhos da Galiza desmantela os seus projectos na rede

A associaçom levava messes sem fundos nem um relevo necessário na direcçom · O prazo para a receber ofertas polos serviços na rede remata a 10 de julho

Terça, 22 Junho 2010 07:34

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - A Associaçom Cultural Filhos da Galiza decidiu em desmantelar a estrutura de serviços na rede que levava mantendo desde há 13 anos. A comunidade virtual Atopadoiro.org, Fillos.org ou PlanetaGalega.info som alguns dos sítios web que intentarám vender.

A situaçom a que se chegou em fevereiro deste ano obrigou a Filhos da Galiza a procurar um relevo imediato na direcçom da associaçom por parte de algumha entidade. Esta procura foi infrutuosa, facto polo qual à associaçom decide vender a maior parte dos serviços na Internet.

Esperam até o 10 de julho para receber ofertas de aquisiçom dos seus projectos. «Dividimos os nossos serviços naqueles que poderiam ser mantidos sem requerer de mantimento técnico e sem termos que pagar um servidor, e o resto venderemo-los para pagarmos dívidas e continuar com os que nom se der vendido», explicou o seu secretário e fundador Manuel Casal Lodeiro.

Em assembleia de sócios que rematou o passado domingo, as 33 pessoas que fam parte do colectivo Filhos da Galiza aprovárom a medida de nomear umha directiva que exercerá o mandado durante menos dum mês  com o fim exclusivo de dirigir o processo. Casal aclarou que tanto ele como outros membros desta directiva temporal apresentárom as suas candidaturas «quase obrigados» pola ausência de sócios dispostos a se fazerem cargo. «A falta de compromisso é um dos problemas que nos tem levado a esta situaçom", justificou, «ademais do fim do convénio que tínhamos com a Secretaria Geral da Emigraçom que nos deixou sem quartos para pagar a gestom técnica e o servidor».

Durante os últimos anos, a associaçom tinha uns gastos aproximados anuais de 45.000 euros, um terço dos quais era financiado mediante o convénio que assinaram com o anterior responsável da Emigraçom, Manuel Luís Rodríguez.

O conjunto das propriedades em linha da organizaçom foi valorado a começos de 2008 por umha empresa especializada independente em 625.500 euros. Este valor é o resultante de todas as web em funcionamento da associaçom, domínios em propriedade sem empregar e equipamentos informáticos.

 

+ Ligaçons relacionadas: