Vieiros e Chuza fechárom no fim-de-semana

Diferentes motivos levárom para o fim de dous meios referenciais na comunicaçom social galega

Segunda, 26 Julho 2010 07:15

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - Vieiros e Chuza, sites referenciais da comunicaçom social galega, fechárom no passado fim-de-semana. Problemas económicos no primeiro caso, falta de revezamento no segundo, levárom para os respetivos responsáveis a adoptar tam difícil decisom.

Numha carta aberta, o diretor de Vieiros, Lois Rodríguez, explica que o meio de comunicaçom que nasceu há 15 anos de um modesto pesquisador e catálogo de webs galegas, «nunca foi um meio rendível», mesmo apesar dos mais de 20.000 leitores diários. Para sobreviver previsava absorver recursos de umha outra empresa do mesmo accionariado, Acordar, centrada no desenho e criaçom de sites web.

Na despedida, Rodríguez informa de que em junho do ano passado, umha auditoria externa desvendou irregularidades económicas e administrativas «de extrema gravidade», cuja responsabilidade foi «assumida por escrito polo daquela gerente e apoderado das empresas, Óscar Martínez, quem terá de responder diante da justiça».

O processo levou ao feche de Acordar e agora, poucos meses depois, também de Vieiros, que procurou sobreviver até que chegou «o momento de se render».

Esgotamento

Quanto a Chuza, site criado em começos de 2006, o feche produziu-se na meia-noite de 25 para 26 de julho. O seu criador e administrador, Berto Yáñez, explicou também numha outra carta aberta que a decisom de clausurar o site se produzia por esgotamento.

Nas suas próprias palavras, desde meses atrás «a manutençom de Chuza fijo-se cada vez mais complexa para mim». Depois de valorizar diferentes opções decidiu deixar o projeto «e oferecer a sua gestom a determinadas associações e entidades que crim adequadas para lhe dar continuidade».

Porém, no necessário revezamento nom chegou, «polo que decidim que era o momento de lhe pôr fim a Chuza». Yáñez lembrou-se também de «outros meios históricos que desaparecem este fim-de-semana», em referência a Vieiros e que, na sua opiniom, «deixam um oco importante nisso que chamamos muitas vezes rede galega». Contudo, colocou ainda umhas palavras de optimismo moderado ao afirmar que «os ocos estám para os preencher. Todo o que queda a partir de agora é melhorar».

Na despedida do site, programada para as 22:59 de 25 de julho (hora galega), chegárom-se a juntar simultaneamente mais de meio cento usuários e usuárias para despedir ao vivo o portal, convertido por méritos próprios em epítome do conceito 'rede social'.

Agora, quando algum usuário digitar o endereço Chuza.gl, verá umha mensagem que fala das possibilidades de continuaçom do projeto, entre as quais, por enquanto, figura em primeiro lugar a rede social lusófona Do Melhor.