'Falabarato': apontamentos económicos em galego

O blogueiro Ghanito é o criador do primeiro podcast económico e em galego da Galiza

Quinta, 27 Novembro 2008 07:06

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - Um dos blogueiros mais conhecidos da internet galega, Ghanito, criou em datas recentes um novo projecto que se torna muito oportuno no momento actual. Leva por nome Falabarato e é o primeiro podcast económico e em galego que se fai no nosso país.

Segundo ele próprio nos explica, o salto do blogue ao podcast vinha-o a matinar desde havia tempo porque «sou muito falador e achei que seria umha evoluçom lógica, umha continuaçom do blogue».

A faísca que prendeu o lume da ideia foi, como costuma suceder com os projectos da rede, chegou num ambiente distendido e de familiariedade. Primeiro, «numha churrascada com uns amigos de Vigo», aos quais deu umha explicaçom longa sobre a crise, liçom que «repetim na casa dos Yáñez [Berto e María], e eles sugerírom-me que figesse um podcast. Assim nasceu Falabarato».

Perguntado sobre o escuras que costumam ser as informações económicas, sobretudo pola maciça presença de tecnicismos, Ghanito indica que o seu intuito é o de «dar a imagem [sobre a economia] que um alvanel poderia dar sobre umha obra. Nom sou arquitecto, polo que nom poderia falar muito de estruturas, mas podo dar explicaçom dos passos que se seguem quando se fai umha obra. O conhecimento básico é menos complicado do que parece», explica.

E como em muitos outros casos, a internet converte-se no lugar onde normalizar a nossa língua em âmbitos dos quais está proscrita no mundo real, como as informações económicas dos jornais. Neste ponto, sobre a escolha lingüística, Ghanito nom tem dúvidas. «A verdade é que cumprem mais conteúdos em galego na rede, sobre economia ou o que for. Conteúdos em castelhano há muitos e nom sinto a necessidade de cobrir qualquer oco», assegura.

+ Ligações relacionadas: