Semana cheia de Ops! Atividade letiva em Cea, Corunha, Ferrol e Moanha

Os ateliês do Português Simples já estão consolidados como atividade formativa de primeiro nível

Segunda, 23 Maio 2011 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

PGL - Os ateliês Ops!, já consolidados como atividade formativa de primeiro nível, estão esta semana nas localidades de Cea, Corunha, Ferrol e Moanha. Em diferentes centros educativos destes concelhos haverá, portanto, oportunidade para as moças e moços se achegarem ao Português Simples.

A semana começa a 23 de maio no IES Cea, na comarca do Carvalhinho, com um Ops! contratado pelo centro educativo e ministrado pela docente Noemi Pinheira. Na mesma data, Antia Cortiças leciona um ateliê para pessoal do EPAPU Eduardo Pondal da Corunha.

Terça-feira, dia 24, a professora Cortiças deslocar-se-á até o IES Concepción Arenal de Ferrol para ministrar a ação formativa contratada pela Câmara municipal. Por sua parte, Noemi Pinheira lecionará dois Ops! no IES Paralaia de Moanha, contratados pela Câmara municipal. Também em Moanha estará a dia 25 Henrique Martins, para ministrar outros dois Ops! no IES Paralaia; e a dia 26 Noemi Pinheira.

Ainda na quinta-feira dia 26, Antia Cortiças lecionará outros dois Ops! contratados pela Câmara municipal ferrolana, um para o IES Saturnino Montojo e o outro para o IES Sofia Casanova.

A semana finalizará a sexta-feira, dia 27, com dois ateliês ministrados por Íria Meyer no IES As Barxas de Moanha e um outro por Antia Cortiças no IES Canido de Ferrol. Os três estão contratados pelas respetivas Câmaras.

 

O português simples

O ateliê Ops! —anteriormente, LP4— é uma ideia original do Carlos Figueiras, adaptada e desenvolvida por Valentim R. Fagim. Nasce para pôr em valor a língua da Galiza, fazendo ver a sua potencialidade e contrabalançando os preconceitos que a subvalorizam. Nasce porque o português é a sexta língua mais falada no mundo, oficial em 4 continentes e 8 países, sendo um deles o Brasil, uma potência emergente. Nasce porque o plurilinguismo vai ter cada vez mais valor, promovido pela globalização e as instituições políticas (a começar pela União Europeia).

Finalmente, nasce porque é em épocas de crise quando é mais preciso afinar onde vamos investir os nossos recursos e depositar a nossa atenção. «Afinal, quer uns, quer outros, são limitados», explica Valentim R. Fagim.

+ Ligações relacionadas: