Seleccionada a escultura de Carvalho Calero promovida pola Fundaçom Meendinho

O monumento, de 3,2 metros de altura, será colocado na Alameda de Santiago de Compostela

Terça, 23 Fevereiro 2010 08:28

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

A Fundaçom Meendinho promove umha estátua dedicada a Carvalho Calero

PGL - Tal como foi no seu dia anunciado no PGL, a Fundaçom Meendinho, «ante o desrespeito  para o clamor  unánime para homenagear e reconhecer neste 2010 a figura exemplar de D. Ricardo Carvalho Calero», com motivo de se produzir  nele o centésimo aniversário do seu nascimento e o vigésimo do seu passamento, impulsiona a realizaçom dum monumento a D. Ricardo Carvalho Calero na Alameda de Santiago de Compostela.

O monumento será colocado na linha exacta que unia a sua morada ao, para ele, muito caro IES Rosalia de Castro, e nessa formosa Alameda histórica, que forma parte do conjunto histórico compostelano e na qual as caminhadas do professor foram contínuas.

No concurso aberto fôrom convidados um leque escolhido de 17 escultores da Galiza e Portugal, e apresentou-se um número considerável de obras ao mesmo.

No passado 15 de fevereiro, trasladárom-se à primeira hora as propostas (algumhas muito pesadas) e a documentaçom que as acompanhava ao lugar  da reuniom do júri, no centro de interpretaçom dos jardins e parques de Compostela, sito nos espaços do Parque da Alameda.

O júri estava composto pola Catedrática de História da Arte da Universidade de Vigo, Maria Vitória Carvalho-Calero, a representaçom do Concelho de Compostela e membros do padroado da Fundaçom Meendinho.

Fôrom examinadas todas as propostas e as suas características e a documentaçom que as acompanhava, sendo escolhida a proposta do escultor José Molares, com umha altura de 3,2 metros. Este artista fora recomendado nos processos prévios do concurso por outro grande escultor galego (também convidado), Acisclo Manzano, quem definiu José Molares como «um dos nossos melhores retratistas e pessoa de futuro brilhante na escultura galega e universal».

O júri estava muito satisfeito do eco que o concurso conseguira e das propostas recebidas, todas «muito meritíssimas e trabalhadas», e muito convencidos que esta obra «vai enriquecer o rico património da cidade de Compostela e será um elemento determinante e configurador no diálogo da arte e o espaço que se produz na Alameda de Compostela, da qual estamos seguros há de ser  pouco a pouco um referente da arte ao ar livre e um espaço fundamental para todos os que visitarem a capital da comunidade autónoma da Galiza».

Para a Meendinho, a estátua impulsionada pola fundaçom já é assunto «de todo o povo galego exprimindo-se com as suas universidades, um leque das suas entidades autárquicas mais comprometidas com a língua e cultura que nos identifica e é a alma colectiva do nosso povo, e de pessoas individuais e artistas que, sabedores da importância da simbologia e do seu rol elucidativo e educativo, contribuem na medida das suas possibilidades a que este monumento seja possível».

 

Diferentes vistas do modelo ganhador da iniciativa de Meendinho
[prima sobre as imagens para ampliá-las]

 

+ Ligações relacionadas: