“A lingua das bolboretas” será de leitura obrigatória nos colégios de Timor Oriental

O texto será utilizado também nas campanhas para a alfabetizaçom de adultos

Quinta, 05 Novembro 2009 00:00

Atençom, abrirá numha nova janela. PDFVersom para impressomEnviar por E-mail
Engadir a del.icio.us Compartilhar no Twitter Compartilhar no Chuza Compartilhar no Facebook Compartilhar no DoMelhor

Ediçom do relato na variante internacional da nossa língua.

PGL – A traduçom ao tétum do relato A lingua das bolboretas, do galego Manuel Rivas, formará parte de um livro de texto para nenos e nenas de Timor Oriental. O texto será prologado polo prémio Nobel da Paz e presidente da República de Timor, José Ramos Horta.

A situaçom do idioma durante a ditadura espanhola e a invasom indonésia em Timor permite a jovens e adultos do país asiático identificar-se com o relato de Rivas, ambientado numha aldeia da Galiza que vive os momentos prévios à sublevaçom militar fascista contra a II República.

O projecto Bolboreta, iniciativa da Asociaçom Luso-Galega de Antropologia Aplicada (ALGA), procura umha data para começar com a entrega dos manuais, depois de que o processo de traduçom tivesse que repetir-se até em duas ocasions já que a primeira era quase literal devido à falta de normalizaçom lingüística do tétum. Por esta razom, a distribuiçom nom começou no vrao como estava previsto inicialmente.

Luis Gárate, um dos responsáveis do projecto Bolboreta, afirma que ainda que as escolas disponham de infra-estruturas suficientes, as aulas carecem de material didáctico adequado à realidade local e lamenta o baixo nível do professorado. Por isso os manuais, que terám umha tiragem inicial de 10.000 exemplares embora os promotores considerem preciso ampliar até os 50.000, incluirám um guia didáctico no que se explicam diversos acontecimentos históricos como a Guerra de Marrocos, a II República espanhola, a Guerra Civil ou a II Guerra Mundial.

Com a ideia de criar o guia em tétum, abriu-se a possibilidade para a criaçom do manual em língua portuguesa, perdida durante os 24 anos de invasom indonésia, razom esta que levou a Brasil e Portugal a somar esforços para recuperar o espaço perdido polo português em terras asiáticas.

 

O tétum, também chamado de teto, é a língua nacional e co-oficial de Timor-Leste junto com o português. O primeiro tétum, o tétum-térique, já era a língua franca antes da chegada dos portugueses. Com a chegada dos lusos, o tétum adopta vocábulos portugueses e malaios e integra-os no seu léxico, tornando-se uma língua crioula e simplificada, o tétum-praça.

Se bem que o português foi a língua oficial do entom Timor Português, o tétum-praça serviu como língua franca. Quando a Indonésia invadiu e ocupou Timor-Leste em 1975, o uso do português foi proibido. A Igreja Católica, em vez de adoptar a língua indonésia como língua litúrgica, adoptou o tétum, tornando-o num pilar da identidade cultural e nacional. Actualmente, o tétum é a língua com maior expressão em Timor-Leste. É este tétum-praça que foi adoptado como "língua oficial" com a designação de Tétum Oficial.